terça-feira, 17 de setembro de 2019


Benfica 1 - 2 RB Leipzig: Curto para a Champions!

Blog Benfica Tomás Tavares
Tomás Tavares, classe e personalidade
O RB Leipzig da Alemanha foi a equipa que calhou em sorte ao Benfica na estreia da Liga dos Campeões 2019/20, com o confronto a ter lugar no Estádio da Luz. Os alemães eram a equipa mais forte do pote 4 no sorteio, onde haveriam certamente equipas mais acessíveis. Para este jogo de estreia a Luz apresentou-se muito despida, situação que não pode deixar de causar estranheza.
O onze apresentado por Bruno Lage foi surpreendente com André Almeida, Rafa e Seferovic a saírem da equipa. Se a entrada de Jota já era mais ou menos esperada e a titularidade  de Cervi não passe de meia surpresa, a estreia absoluta de Tomás Tavares foi a grande surpresa da noite. Apesar das alterações de jogadores o sistema manteve-se idêntico ao que tem sido habitual, embora Jota jogasse ligeiramente mais recuado.

Benfica vs RB Leipzig - Liga dos Campeões 2019/20
Zlobin, Nuno Tavares, Jardel, David Tavares (67'), Rafa (75'), Caio Lucas e Seferovic (75')

Momento | Positivo | Negativo

O momento em que o Benfica nos escolhe
Oportunidade de Pizzi: O remate de Pizzi ao segundo poste sobre a esquerda onde podia ter inaugurado o marcador é o momento do jogo, até porque na resposta o Leipzig adiantou-se no marcador.
Prémio Pablo Aimar
Tomás Tavares: Fantástica exibição deste excelente lateral da nossa formação. Uma estreia absoluta na equipa principal num jogo da Liga dos Campeões com esta personalidade deixa água na boca.
Prémio Bruno Cortez
Estofo físico: A diferença ao nível físico entre ambas as equipas devia ser caso de estudo já que estamos a falar de duas equipas de topo.

Blog Benfica Rafa
Rafa ainda entrou a tempo de assistir

Bitaites do terceiro anel:
  • Confirmaram-se as minhas suspeitas, a equipa do pote 4 deste grupo é claramente a melhor equipa do grupo.
  • Fizemos um jogo razoável tendo em conta o facto do plantel já ser algo "curto" para a Champions, agravado ainda pela ausência de André Almeida, Gabriel e Florentino e pela valia do adversário. Com um pouco de sorte o resultado até podia ser diferente.
  • Nestes confrontos com equipas alemãs a diferença ao nível físico é sempre muito acentuada. O desgaste físico foi sempre em crescendo e foi levando a que  tomada de decisão fosse cada vez menos coerente. Taarabt foi um bom exemplo disso.
  • O caminho foi definido, os reforços estão no Seixal. Quem achar que chega para brilhar na Liga dos Campeões não tem bem noção da realidade. Será suficiente para uma participação digna? Tenho esperança que sim.
  • Só foi pena o Grimaldo não se ter lesionado no aquecimento para vermos uma defesa composta por Tomás Tavares, Rúben Dias, Ferro e Nuno Tavares. Não batam já, eu também preferia ter nestes jogos pelo menos um central e um lateral com outra estaleca.
  • Já me esquecia, o RDT jogou finalmente no lugar que dizem ser o dele.
  • Ver os jogos da Champions sem os comentários do Dani é logo outra loiça. No entanto o papagaio que comentou hoje também pode dar algum espaço ao jogo em si.
  • Podem ler os artigos sobre os dois estreantes de hoje aqui: Tomás Tavares e Jota.
Abraço

8 comentários:

  1. quero que oe seferovic va po caralho menino rico e mimado tambem ja aprendeu a mandar calar os adeptos do povo de resto nada de novo nessa equipa de merda do presidente de merda orelhas ganda cabrao death is blind cabrao agora temos os irmaos tavares tipo irmaos dalton nao e o treinador que manda na equipa é o presidente fodase po caralho

    ResponderEliminar
  2. o momento do jogo para mim foi a oportunidade do cervi muito mais clara que, a do pizzi o ângulo era muito mais fechado e difícil, daria o empate e eles no lance seguinte fizeram o segundo.

    só que a exibição do tomas é curta para aquilo que precisamos, sobretudo nesta competição, e não podemos esquecer que foi de um erro dele que apareceu o segundo.

    mas como eu disse vamos ver se o rdt não se queimou de vez por andar a jogar numa posição que não é a sua, e o banco fez bem ao seferovic, alias insistir num jogador fora de forma dá sempre maus resultados. mas pelos vistos os jogadores continuam a não perceber que contestar, ou provocar, os adeptos só piora as coisa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Escolhi o do Pizzi porque nos colocava na frente do marcador e de seguida adiantaram-se eles, não por ser uma oportunidade muito clara, que não o foi. O do Cervi também estava bem.

      Eliminar
  3. se a exibição do tomas confirma aquilo que fomos vendo dele nos vários escalões por onde tem passado e nos dá esperança no seu futuro. sim completamente.

    se é o que precisamos neste momento para a equipa principal e principalmente para esta competição. não como ficou evidente.

    e o tomas só não foi o elo mais fraco porque o ferro neste tipo de jogo anda sempre aos papeis.

    mas até admitia algum risco nesta posição se o resto da defesa fosse solida e experiente para aguentar um completo inexperiente. mas não não é.
    é que isto nem é bom para ele jogadores sem experiência precisam de gente com muita para poderem crescer mais depressa.
    mas parece que o objectivo é produzir quantidade e não qualidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Falta claramente gente com qualidade e experiência na defesa para enquadrar os mais novos. Volta Luisão.

      Eliminar
    2. mas isso disse eu na pré época, precisávamos de um central com maturidade, experiencia e qualidade.

      e dado que grimaldo e ruben não tem maturidade, embora já alguma experiência, conti ferro e nuno tavares nem uma nem outra o suplente do andre nunca podia vir da formação.

      Eliminar
  4. Equipa que na marca sofre...a eficácia e o estofo físico treina-se... se nāo entāo é o treinador e o seu plano que tera de ser posto em causa.

    Estamos a começar a época e a equipa durou só 70 minutos.

    Culpas?
    1- para a planificação do plantel curto.... ainda mais com jogadores lesionados ainda na janela de transferências ....
    2- para a planificação de treinos... a intensidade foi curta para uma Champions
    3- para a estratégia de jogo... o meio campo foi curto e macio para jogar em inferioridade numérica. os alemães jogaram quase sempre 5 contra 4 nesta zona... e quem perde o meio campo perde o jogo e nem com intensidade se vai la...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já tenho estado para escrever isso e tenho-me esquecido. Quando Bruno Lage tomou conta da equipa a palavra "intensidade" foi repetida por ele até à exaustão nas CI's. Agora desapareceu do discurso. Espero que não tenha desaparecido dos treinos.

      Eliminar

Espreite também: