quarta-feira, 19 de dezembro de 2018


Montalegre 0 - 1 Benfica: Nem te Conti!

Benfica Conti
Conti marcou o golo solitário da partida
Os oitavos de final da Taça de Portugal 2018/19 levaram a festa da prova rainha do futebol português à bonita vila de Montalegre. A visita do maior e melhor clube português a Trás-os-Montes trouxe memórias de tempos em que o desporto ao mais alto nível chegava aos locais mais recônditos de Portugal proporcionando verdadeiros confrontos de "Davides" contra "Golias". Felizmente foi possível criar condições para que o jogo se realizasse no Estádio Dr. Diogo Vaz Pereira permitindo aos montalegrenses em geral, e aos montalegrenses Benfiquistas em particular, ver os seus ídolos ao vivo.
Com era de esperar Rui Vitória procedeu a várias alterações no onze inicial para esta partida.  Na metade mais defensiva apenas Jardel manteve a titularidade o que significa que Svilar, Corchia, Conti e Yuri Ribeiro tiveram nova oportunidade de somar minutos. Do meio campo para a frente Zivkovic manteve a titularidade e Krovinovic, Gabriel, João Félix e Seferovic voltaram a ser aposta.

Montalegre vs Benfica - Taça de Portugal
Suplentes: Varela, Rúben Dias, Samaris, Gedson (81'), Cervi (72'), Castillo (89') e Ferreyra.

Deixar andar...

Muito respeito pelos jogadores do Montalegre que encararam o jogo com o profissionalismo que lhes competia e jogaram o jogo pelo jogo frente ao Benfica. Controlaram as zonas próximas da sua grande área, procuraram sair a jogar sempre que a situação o permitia e criaram perigo real em algumas das bolas paradas de que dispuseram. O Benfica pelo seu lado zzzzz zzzzzz zzzzzzz!
Visita do Benfica a Montalegre
Auto Trindade em grande estilo na receção ao Benfica
A diferença no resultado ao intervalo esteve apenas na eficácia nas bolas paradas com o Benfica a fazer golo na sequência de um canto, algo inédito esta temporada, e o Montalegre a ficar perto do golo em duas dessas situações. As várias alterações efetuadas não justificam prestação tão pobre nos primeiros 45 minutos como aquela que o Benfica apresentou. Regresso aos balneários na frente do marcador mas com alguma injustiça à mistura.

Um ou dois arrufos e... deixar andar

A segunda parte começa de forma auspiciosa com uma incursão de Corchia por terrenos interiores que terminou com um remate ao poste. Pura ilusão já que o jogo rapidamente entrou no ritmo pastoso da primeira parte com o Benfica a não conseguir ser dominador e o Montalegre a procurar a sua sorte.
Apesar do cenário a diferença de qualidade entre os jogadores permitiu ao Benfica dispor de boas oportunidades para dilatar o marcador. A maior delas pertenceu a João Félix que já dentro da pequena área não conseguiu desfeitear o guarda-redes contrário. Conti voltou a estar perto do golo em mais uma bola parada e Krovinovic tem uma boa incursão, mas viu o guarda-redes defender o seu remate. O Montalegre rondou mais vezes a grande área do Benfica do que o desejado, mas nunca criou demasiado perigo para a baliza benfiquista.
Benfica Zivkovic
Finalmente um golo de canto (uma delícia as barreiras)
Salva-se a continuidade na Taça de Portugal, num jogo muito pobre em que as segundas linhas não aproveitaram a oportunidade para marcarem pontos. No próximo fim-de-semana haverá a receção ao Braga num jogo que pode permitir ao Benfica escalar lugares na classificação. Venha daí essa vitória.


Momento | Positivo | Negativo


O momento em que o Benfica nos escolhe
Chegada do autocarro: A chegada do vermelhão ao estádio foi o momento da noite com a festa dos muitos Benfiquistas presentes em Montalegre. 
Prémio Pablo Aimar
Festa: Excelente a festa vivida na Vila de Montalegre, terra de boa gente. Antes, durante e depois do jogo o ambiente foi sempre festivo e vivido de forma calorosa por parte dos Montalegrenses, dos Benfiquistas e dos Montalegrenses Benfiquistas.
Prémio Bruno Cortez
Benfica: Há que ser Benfica em todas as horas e em todos os locais. Nunca se esqueçam disso, porque eles/nós, os Benfiquistas, estamos em toda a parte a todo o momento.


Aqui que ninguém nos ouve:
  • Esta pobre exibição, mais uma, veio pôr ainda mais a nu o fracasso quase absoluto nas contratações para esta temporada. É rezar para que as lesões não comecem a aparecer a ritmo elevado, ou então que apareça um treinador capaz de retirar mais rendimento de cada jogador.
  • Finalmente um golo na sequência de um canto. Viste Rui Vitória? Viste Pizzi?
  • Parece que o Castillo já não tem rastilho. Como é que conseguiu ouvir instruções do treinador para entrar em jogo, ao minuto 89, num jogo contra o Montalegre, sem explodir?!
  • Até gosto da postura do Yuri Ribeiro. Até parece que fez uma época muito boa no Rio Ave. Mas coiso... Quando um profissional de futebol é incapaz de dar um toque na bola com o pé direito...

Abraço

4 comentários:

Anónimo disse...

Futebol de MERDA, como tem sido habitual. Uma vergonha, mais uma. Um autêntico enxovalho ao Benfica.
RUA COM RUI VITÓRIA! ONTEM JÁ ERA (MUITO!!!) TARDE!
Estou enojado, com tanta palhaçada!
Zé Barroso

José Ramalhete disse...

Calma, estávamos a jogar em casa do colosso Montallegri da Série A, orientado pelo consagrado José Viage, 5 vezes vencedor do scudetto com esta mesma equipa.

Rui Pinheiro 1968 disse...

Calma que estamos em retoma. Se este jogo fosse lá para fevereiro ganhavamos por dois a zero!

joão carlos disse...

só uma rectificação já tínhamos marcado de canto, na grecia frente ao paok.
não é que isso modifique muito a vergonha que são os lances de bola parada.

mas valeu não ser sempre o mesmo a executar e valeu que o canto marcado com a bola a ir na direcção da baliza em vez do contrario, e como existe um estudo e tudo que demonstra que os primeiros nem é preciso inventar o que já foi inventado.

alguém tem de ser responsável, lema pelos visto nem para estar no banco contra uma equipa da terceira divisão serve.
com dois avançados no banco deixar o ineficaz seferovic o jogo todo em campo é algo que não se percebe, para não dizer coisa pior.

Espreite também: