sábado, 1 de dezembro de 2018


Benfica 4 - 0 Feirense - Triunfo retemperador

Benfica Jonas
Jonas Pistolas desbloqueou o marcador
Após um interregno de três semanas e depois de uma semana muito conturbada a Liga NOS regressou para se cumprir a 11ª jornada que trouxe a equipa do Feirense ao Estádio da Luz. Existiam dúvidas sobre as consequências da incerteza quanto à continuidade de Rui Vitória, no desempenho da equipa e na presença dos adeptos. Nos adeptos notou-se uma quebra no número e o silêncio dos topos durante os primeiros 30 minutos. Quanto à equipa fala-se mais à frente.
Rui Vitória apostou na defesa e meio campo que foi titular na maior parte dos jogos da fase inicial da época. O trio de ataque que nesses jogos foi composto por Salvio, Ferreyra e Cervi, foi substituído neste jogo por Zivkovic, Jonas e Rafa. Ressalta deste onze a presença de apenas um único reforço para esta temporada: Odysseas Vlachodimos.

Benfica - Feirense - Liga NOS
Suplentes: Svilar, Alfa, Gabriel (80'), Krovinovic (89'), João Félix, Cervi e Seferovic (82').

Alguma vontade, poucas ideias

Notou-se no início da partida uma vontade dos jogadores do Benfica em meterem velocidade no jogo e procurarem "chamar" o público para a luta neste momento de maior turbulência. Acontece que a vontade não chega para dar a volta à situação e a falta de ideias continua a ser uma realidade nesta fase da temporada. Para ajudar ao cenário o adversário apresentou-se com uma postura muito defensiva com duas linhas à frente da sua área que não permitiam grandes veleidades aos atacantes benfiquistas.
Benfica Adeptos
Silêncio de protesto nos primeiros 30 minutos
O jogo foi sempre marcado por muitas faltas e muito antijogo com a consequente quebra do tempo útil de jogo. Apesar de algumas boas incursões, principalmente pelo lado esquerdo do ataque, o último passe raramente encontrava destinatário. A presença de jogadores do Benfica na grande área foi sempre muito diminuta permitindo aos jogadores do Feirense irem resolvendo as situações com relativa facilidade.
Foi já perto da meia hora de jogo que surgiu o primeiro remate digno desse nome à baliza do Feirense. Pizzi na conversão de um livre direto proporcionou defesa segura ao guarda-redes adversário. Além desta bola parada registo apenas para um cabeceamento de Jonas para as mãos do guarda-redes visitante. Exigia-se muito mais para a segunda parte para chegar à vitória.

Um golo libertador

No regresso dos balneários a equipa voltou a entrar com vontade de mudar o rumo aos acontecimentos só que desta vez apareceu o génio de Jonas que com um toque subtil coloca-se na cara do guarda-redes e inaugura o marcador. Foi um golo muito importante para libertar as amarras aos jogadores benfiquistas. Por seu lado o Feirense demonstrou que não estava preparado para sofrer um golo. A estratégia passava apenas por jogar com o nervosismo do Benfica e desfez-se com o golo de Jonas.
Benfica Seferovic
Seferovic tem tido uma postura irrepreensível
Seguiu-se um festival de jogo ofensivo do Benfica que culminaria no segundo golo através de um auto-golo de um defesa do Feirense ao tentar interceptar um cruzamento de Rafa. Este golo reforçou o estado de espírito das duas equipas, pela negativa para o Feirense, e até ao final foi um festival de oportunidades perdidas e mais dois golos por parte do Benfica. Rafa fez o merecido golo e o recém-entrado Seferovic fez o quarto, um golo também muito merecido pelo profissionalismo que tem apresentado em todos os momentos.
Resultado justo e importante para moralizar as hostes benfiquistas num momento complicado. Já que a aposta é na continuidade esta vitória permite ganhar tempo na recuperação dos índices de confiança da equipa e no reforço do espírito de grupo no balneário. Já na próxima quarta-feira vem o jogo da Taça da Liga frente ao Paços de Ferreira que se espera sirva para dar continuidade à recuperação desejada.


Momento | Positivo | Negativo


O momento em que o Benfica nos escolhe
Minuto 30: Foi a hora escolhida pelos topos para finalizar o silêncio de protesto. Importante o silêncio para demonstrar o descontentamento. Importante o apoio para levar a equipa ao colo. 
Prémio Pablo Aimar
Jonas: Grande golo e grande atitude do génio brasileiro. O Benfica precisa sempre deste Jonas, mais ainda quando o momento é de muita intranquilidade.
Prémio Bruno Cortez
Anti-jogo: O futebol é um desporto caro. O espectador que paga o seu bilhete tem direito a assistir a um espectáculo positivo e jogado com lealdade.


Aqui que ninguém nos ouve:
  • A aposta do Presidente foi na continuidade de Rui Vitória e assumiu a responsabilidade pela decisão. Assim sendo fica intimamente ligado a essa decisão, para o bem ou para o mal e no momento certo será avaliado por isso. Se não se vier a falar muito disso, melhor, porque significa que as coisas entraram na linha.
  • Acho desde o início da época que o Benfica tem excesso de jogadores em determinadas posições e escassez noutras, algo que pode criar problemas no balneário. Parece-me de todo importante que assumam de vez o posicionamento de Castillo e Ferreyra no clube. Mais vale tomar medidas drásticas do que viver um ambiente de paz podre.
  • As grandes marcas de equipamento desportivo deviam contratar o Engenheiro de Design do Produto Jonas Pistolas. Com um golpe de génio conseguiu retirar dois quilos de peso a cada chuteira dos companheiros de equipa.
  • Esse golo também ajudou a reforçar o estado de saúde dos jogadores do Feirense. Nunca mais se lesionaram.

Abraço

Espreite também: