sexta-feira, 28 de dezembro de 2018


Aves 1 - 1 Benfica: Um passo atrás

Benfica Seferovic
O momento do golo de Seferovic
O fecho da fase de grupos da Allianz Cup 2018/2019 levou o Benfica à Vila da Aves para defrontar o desportivo local. O jogo era de mata-mata já que ambas as equipas ainda tinham hipóteses de garantir um lugar na final a quatro a disputar em Braga, com o empate a ser suficiente para o Benfica seguir em frente. O frio não afastou os Benfiquistas que mais uma vez compareceram no apoio à equipa.
Rui Vitória não facilitou no onze titular apresentado, sendo poucas as alterações em relação à equipa que foi titular frente ao Sporting de Braga. Svilar voltou à titularidade na baliza, Yuri Ribeiro ocupou a vaga normalmente preenchida por Grimaldo e Seferovic rendeu o goleador Jonas. A equipa apresentada representa a aposta clara do Benfica na vitória na competição.

Aves vs Benfica - Taça da Liga
Suplentes: Varela, Corchia, Alfa Semedo (92'), Krovinovic, Salvio (85'), João Félix e Jonas (59').

Jogar para o empate

Apesar do discurso em sentido contrário, o Benfica entrou em campo na Vila das Aves claramente a jogar para o empate que garantia a continuidade em prova. Nota-se claramente que a equipa está mais confiante, com maior conforto em posse de bola e mais assertiva na recuperação da mesma o que lhe permite ir controlando o rumo dos acontecimentos. Acontece que no futebol enquanto o resultado está à distância de um golo, não há jogos controlados e isso exigia outra postura da equipa em busca da vitória.
Benfica Gedson Fernandes
Gedson esteve em bom plano
Seferovic não é Jonas, aliás não há outro "Jonas" na liga portuguesa. Sem Jonas o jogo entre linhas é inexistente e apenas as arrancadas de Gedson com a bola colada ao pé, ou as diagonais interiores do Zivkovic permitem entrar no espaço entre a defensiva e o meio campo do adversário. Muito curto e fácil de contrariar pelo adversário, bastando-lhe criar superioridade numérica quando Zivkovic tem a bola e fazendo falta sempre que Gedson ultrapassa o seu adversário direto.
A primeira vez que o Benfica tenta o golo é já a meio da primeira parte através de um bom movimento de Zivkovic para o interior que termina num remate muito ao lado da baliza. A maior oportunidade da primeira parte é para o Aves numa incursão pela esquerda culminada com remate ao lado, imediatamente na resposta a um penálti que ficou por marcar sobre André Almeida. Em cima do intervalo surge o único remate enquadrado com a baliza do Aves num cabeceamento fraco de Yuri Ribeiro.

Muito melhor o resultado do que a exibição

A segunda parte começa praticamente com o golo do Aves num cabeceamento em resposta a cruzamento largo que Svilar não conseguir deter. Quando se dizia que com a margem mínima o jogo nunca está controlado, aqui está a prova. A equipa não conseguiu reagir ao golo e o Aves com algum antijogo à mistura ia sendo a equipa mais perigosa.
Benfica Zivkovic
Zivkovic foi dos mais esclarecidos
Por volta da hora de jogo Jonas entra para o lugar de Cervi e o Benfica passa a atuar com dois avançados, mas a alteração não surtiu de imediato os efeitos desejados. O Aves continuou a dispor de boas ocasiões mas foi o Benfica que acabou por marcar com Seferovic a corresponder a um bom cruzamento de Zivkovic. Com o empate era o Benfica que continuava em prova e como tal o Aves procurou o golo que os colocasse na fase final. Esteve perto de o conseguir mas por mérito da defensiva encarnada ou demérito dos seus avançados o empate persistiu até ao apito final. 
Empate sofrido que colocou o Benfica na fase final em Braga e como tal é um resultado positivo. Em termos da recuperação dos níveis exibicionais foi claramente um passo atrás. O Benfica termina o ano em todas as competições e inicia o novo ano com uma difícil deslocação a Portimão para a Liga NOS. Venham de lá os três pontos fundamentais.


Momento | Positivo | Negativo


O momento em que o Benfica nos escolhe
Cruzamento de Zivkovic: A assistência de Zivkovic para o golo de Seferovic foi o corolário de mais uma boa exibição do génio sérvio. Um dos mais esclarecidos da equipa do Benfica. 
Prémio Pablo Aimar
Gedson: Mais uma vez o jovem médio do Benfica encheu o campo com recuperações de bola que rapidamente se transformam em lances de ataque. Incrível o número de faltas que vai sofrendo jogo após jogo.
Prémio Bruno Cortez
Falta de ambição: O onze apresentado pelo treinador até passou a mensagem de que o jogo era para vencer. Puro engano já que a postura da equipa foi quase sempre em sentido contrário.


Aqui que ninguém nos ouve:
  • Este jogo era para continuar a encher o balão da confiança dando sequência à boa exibição conseguida frente ao Braga. Assim, e tendo em conta que as alterações foram muito pontuais, o que se viu foi um esvaziar desse mesmo balão.
  • Infelizmente para nós este amigo Veríssimo vai-nos fazer companhia por muitos anos. Aquele penálti sobre o André Almeida...
  • Seferovic conseguiu com um só toque na bola transformar os desgastados jogadores do Aves em super-homens. Então aquele central que não saía do chão, sofreu tal renovação que aparecia em ambas as áreas quase ao mesmo tempo, tal a velocidade com que se deslocava. Até de pontapé de bicicleta rematou à baliza do Benfica.
  • Se pudesse retirar alguns cromos das cadernetas do Benfica, este Derley que está no Aves certamente que seria um deles.
  • A terminar ficam os votos de um Bom 2019 para todos.

Abraço

Espreite também: