sábado, 28 de julho de 2018


Benfica 1 - 1 Juventus - À lei da bomba!

Benfica adeptos
Uma festa para os nossos Emigrantes
O segundo jogo do Benfica na International Champions Cup teve lugar no Red Bull Arena em Harrison, Estados Unidos. Pela frente apanhou a equipa de Juventus que no jogo anterior tinha vencido o Bayern de Munique por dois golos sem resposta. O Benfica vinha do empate frente ao Dortmund, com vitória nos penaltis que lhe valeram dois pontos na competição.
Continuam as dúvidas na baliza e no parceiro do Jardel no eixo central. O trio do meio campo parece bem definido já que não tem sido alterado por Rui Vitória ao longo de toda a pré-temporada. Na frente a aposta recaiu no trio que jogou a segunda parte frente ao Dortmund, realçando as dúvidas que ainda vão na cabeça do treinador benfiquista.

Suplentes: Svilar, Varela, Ebuehi, Luisão, Rúben Dias, Lisandro, Lema, Yuri Ribeiro, Alfa Semedo, Samaris, Keaton Parks, João Félix, Zivkovic, Rafa, Jonas, Seferovic e Castillo.

Dono da bola, dono do jogo

Mais um jogo de dificuldade elevada mais um bom arranque de partida por parte do Benfica. Mais uma vez privilegiou-se a posse de bola, com saídas a jogar sempre rente à relva e circulação segura embora cada vez mais em progressão. A diferença para os outros jogos é que a bola circula com mais velocidade e objetividade. A Juventus pareceu aceitar este domínio do Benfica e nunca foi particularmente agressiva ou pressionante.
Benfica Alex Grimaldo
Excelente golo de Grimaldo
O primeiro lance de verdadeiro perigo surge dum excelente passe de Pizzi para as costas da defensiva dos italianos com Salvio a não conseguir vencer o duelo com o guarda-redes. Na resposta a Juventus dispôs da única oportunidade desta primeira parte mas a bola passou por cima da barra. Depois foi Conti que numa bola parada não conseguiu concluir da melhor forma. Da pressão alta de Gedson surge a melhor oportunidade para o Benfica mas o remate com o pé esquerdo sai ao lado da baliza.
Já perto do fim da primeira parte surge e lesão de Ferreyra num choque involuntário com Jardel que se espera que não seja grave. Castillo entrou para o seu lugar e assistiu-se a um deixar correr do jogo até ao intervalo. Registo apenas para uma boa incursão de Salvio pela direita que quase provocava o autogolo de um defesa italiano.

Golos de levantar o estádio

A Juventus entrou com outra disposição na segunda parte, criando finalmente dificuldades à equipa benfiquista. Foi altura, também finalmente, de Odysseas ser posto à prova com a camisola do Benfica. Acabou por dar conta do recado sempre que foi chamado a intervir, em algumas ocasiões com brilhantismo. O Benfica reagiu como lhe competia e Cervi de livre direto e Gedson após assistência de Castillo deram o sinal do que estava para chegar.
Benfica Odysseas Vlachodimos
Odysseas deu confiança no primeiro teste a sério
O que chegou foi um golaço de Grimaldo na conversão de um livre direto. Remate muito bem colocado que não deu qualquer hipótese de defesa ao guarda-redes adversário. Após o golo verificaram-se bastantes alterações que acabaram por deixar o jogo meio partido. A Juventus procurou o golo do empate que esteve perto de acontecer num cabeceamento à barra da baliza de Odysseas. Não aconteceu aí, aconteceu logo de seguida em mais um grande golo com um remate espetacular do esquerdino italiano.
Até ao final do jogo ambas as equipas procuraram chegar à vitória mas o empate acabaria por ser o resultado final. Nos penaltis acabou por vencer a Juventus por 4-2. É o segundo empate consecutivo do Benfica frente a adversários fortíssimos, não são vitórias, mas são resultados moralizadores para os jogos a "sério" que se aproximam. Venha daí a Eusébio Cup.


Momento | Positivo | Negativo


O momento em que o Benfica nos escolhe
Golo de Grimaldo: Senhoras e senhores coloquem o golo em loop e desfrutem deste soberbo remate mesmo para o sítio onde a coruja faz o ninho. 
Prémio Pablo Aimar
Personalidade: O Benfica tem-se apresentado em campo de forma personalizada, pouco impressionado com o nome do adversário. Fiel aos seus princípios de jogo, procura assumir o controlo do mesmo desde os primeiros minuto.
Prémio Bruno Cortez
Lesão Ferreyra: Mais uma lesão, desta vez do reforço mais sonante. Esperemos que não seja nada de grave e esteja disponível já para a próxima partida.


Aqui que ninguém nos ouve:
  • Estava eu a pensar ao intervalo: quando é que vamos defrontar uma equipa verdadeiramente forte para podermos aquilatar do valor do Odysseas? Acabou por acontecer na segunda parte e para já o balanço é positivo.
  • A pressão alta do Gedson com a recuperação de várias bolas no meio campo adversário começa a ser uma imagem de marca deste Benfica.
  • Está visto que nestes primeiros jogos da época vamos ter a equipa em 4-3-3. Jonas, Ferreyra e Castillo vão ter que lutar pela vaga disponível.
  • Mais um jogo, mais uma vez Cristiano Ronaldo fica a zeros contra o Benfica ;-)

Abraço

quinta-feira, 26 de julho de 2018


Benfica 2 - 2 Dortmund - Acreditar!

Benfica festeja golo
É disto que o meu povo gosta!
Foi nos Estados Unidos, mais concretamente em Pittsburgh que o Benfica fez a estreia na International Champions Cup 2018, tendo como adversário os Alemães do Borussia de Dortmund. Mais uma vez o prestígio do Benfica levou a melhor sobre a campanha de difamação que já dura há vários meses, mas não consegue sequer beliscar o bom nome do Glorioso, que voltou a ser convidado para a prestigiada competição.
O onze apresentado por Rui Vitória começa a estabilizar. No sector defensivo a titularidade deverá estar reservada para o quarteto da última temporada com a dúvida a subsistir apenas na baliza. O trio do meio-campo também parece definido com a aposta em Gedson a ganhar força. Na frente muitas experiências nas alas e a dúvida quanto ao ponta de lança a utilizar, parecendo que Castillo começa a ganhar alguma vantagem.

Suplentes: Odysseas, Yuri Ribeiro, Conti, Lema, Tyronne Ebuehi, Alfa Semedo, Samaris, Salvio, Cervi, Ferreyra e Jonas.

Se vacilas, sofres

O Benfica começou esta partida procurando o domínio do jogo, através combinações que privilegiavam a posse de bola e uma pressão alta que levava à recuperação da mesma rapidamente. Esta postura criou algumas dificuldades ao Dortmund, que pareceu surpreendido com o atrevimento benfiquista. Ainda assim, mais uma vez, o domínio não se traduziu em oportunidades de golo registando-se apenas alguns lances de bola parada a fazer chegar a bola à área adversária.
Benfica André Almeida
André Almeida considerado o homem do jogo
Perto dos vinte minutos de jogo, e quando já se registava maior equilíbrio, o Dortmund faz dois golos em dois minutos em dois lances começados pelo lado esquerdo do seu ataque. No primeiro a defensiva encarnada revelou pouca contundência no ataque à bola, e no segundo uma desconcentração de Rúben Dias colocou o jogador em jogo e este não perdoou.
Até final da primeira parte o Benfica procurou voltar ao jogo, mas acusou algum desgaste anímico. Ainda assim esteve perto do golo num dos muitos lances em que Gedson pressionou alto e obrigou o guarda-redes a jogar mal, permitindo a Pizzi colocar a bola na baliza deserta, mas a mesma ressaltou num defesa contrário.

Bons sinais para o que aí vem

A segunda parte trouxe uma frente de ataque completamente renovada com Salvio, Ferreyra e Cervi a ocuparem os lugares de Zivkovic, Castillo e Rafa. Mais uma vez o Benfica entra forte e dominador e desta vez mais contundente e acutilante no último terço do terreno. Fruto desta boa entrada chega ao empate num bom lance concluído por André Almeida. Este golo teve o condão de fazer acreditar a equipa de que a reviravolta era possível.
Benfica Mile Svilar
Svilar defendeu uma grande penalidade
Perto da hora de jogo entram Yuri, Samaris, Alfa e Jonas, passando o Benfica a atuar em 4-4-2, com Jonas no apoio a Ferreyra. As mexidas não quebraram o ritmo do jogo, muito pelo contrário. Jonas traz sempre critério e classe ao jogo, mas foi Alfa quem mais mexeu com o mesmo. Trouxe vigor físico e poder de choque ao meio campo, e discernimento na circulação da bola. A sua boa entrada foi premiada com um bonito golo. Após o empate houve ainda tempo para as entradas em campo de Lema e Ebuehi que pouco tempo tiveram para se mostrar.
O resultado não sofreu alterações e nas grandes penalidades o Benfica acabou por se superiorizar por 4-3. Assistimos a um excelente teste perante um adversário poderosíssimo numa pré-época em que as dificuldades têm vindo em crescendo, e assim continuará a ser. Venha agora a Juventus para ajudar a equipa a elevar ainda mais os níveis de competitividade.


Momento | Positivo | Negativo


O momento em que o Benfica nos escolhe
Golo do André Almeida: Este golo que materializou um bom início de segunda parte catapultou a equipa para uma boa exibição. 
Prémio Pablo Aimar
Intensidade: Muito bem a equipa em termos de intensidade de jogo dando sinais que chegará forte ao decisivo apuramento para a Champions League.
Prémio Bruno Cortez
Desconcentrações defensivas: Num momento em que o Benfica parecia controlar o jogo, duas desconcentrações em dois minutos resultaram em dois golos sofridos. É assim com este tipo de adversários.


Aqui que ninguém nos ouve:
  • Será Alfa Semedo o oito que a equipa precisa? Tem sido visto como a alternativa ao Fejsa, mas também tem atributos para jogar mais adiantado.
  • Não seria melhor concentrar as atenções na contratação de um verdadeiro reforço para a baliza? Andam entretidos com o oito quando a maior lacuna não parece ser aí. Não esquecer que ainda temos Krovinovic.
  • Apesar do bom jogo do Benfica fica-me sempre a ideia que o fosso entre o futebol português e o alemão é enorme. Tal apenas realça o bom desempenho da equipa.

Abraço

terça-feira, 24 de julho de 2018


Ao cuidado de Cosme Damião - XIX

A equipa de Atletismo do Benfica conquistou em Braga o seu 30º Campeonato Nacional, somando assim o seu oitavo título consecutivo.
Para conquistar o título o Benfica atingiu um total de 155 pontos, que lhe permitiram superar o Sporting, segundo classificado.





Coordenadora: Ana Oliveira.
Os Campeões: Diogo Antunes, João Vítor Oliveira, Ricardo dos Santos, Ricardo dos Santos, Diogo Mestre, João Fonseca, José Carlos Pinto, Rui Pinto, André Pereira, Samuel Barata, Miguel Carvalho, Tsanko Arnaudov, Francisco Belo, António Vital Silva, Leandro Ramos, Ivo Tavares, Pedro Pablo Pichardo, Paulo Conceição e Diogo Ferreira.

Parabéns Campões!!!

sábado, 21 de julho de 2018


Benfica 1 x 0 Sevilha - Rasgadinho

Benfica Nico Castillo
Nico Castillo a faturar nas alturas
A Suíça sempre foi um bastião do Benfiquismo, não sendo por isso de estranhar o apoio que o Benfica teve por parte dos emigrantes portugueses nesta deslocação a Zurique para aquele que era o teste mais difícil até ao momento nesta pré-temporada 2018/19.
Rui Vitória apresentou um onze muito idêntico ao primeiro jogo do Torneio do Sado, registando apenas a entrada de Sálvio para o lugar de João Félix remetendo Rafa para o flanco esquerdo da equipa. À última hora procedeu ainda à substituição de Svilar por Odysseas por lesão do primeiro no aquecimento.

Suplentes: Varela, Ebuehi, Luisão, Rúben Dias, Yuri Ribeiro, Alfa Semedo, Samaris, Zivkovic, Cervi, João Félix e Jonas.

Morno com alguns focos de "calor"

Na primeira parte deste jogo foi possível observar um reforço em cada um dos setores da equipa. Na baliza Odysseas entrou à última da hora para o lugar do Svilar e mostrou segurança em todos os lances onde teve intervenção. No centro da defesa Conti apresentou já um entrosamento bastante aceitável com Jardel e André Almeida. Esteve muito bem na definição da linha de fora-de-jogo, menos bem numa ou outra bola que entrou entre ele e André Almeida.
Benfica André Almeida
André Almeida com a fiabilidade do costume
No centro do terreno Gedson dividiu as despesas com Pizzi, quer na saída de bola ao lado de Fejsa, quer no apoio ao isolado Castillo. Alternavam também na pressão à primeira fase de construção do Sevilha. O jovem "reforço" apresentou-se com maior desenvoltura e espírito de iniciativa do que o seu parceiro do lado, parecendo querer marcar bem o seu território. Na frente Castillo demonstrou bons pormenores a jogar de costas para a baliza, segurando a bola e assistindo os seus colegas que surgiam no apoio. Teve poucas oportunidades de finalizar.
O resultado ao intervalo representa bem a ausência de verdadeiras oportunidades que se verificou. Um jogo relativamente bem jogado, com uma intensidade bastante aceitável para a fase da época e alguns momentos de maior "entrega" que trouxeram alguma vivacidade à bancada.

Excelente segunda parte

O reinício da partida trouxe um jogo ainda mais intenso, com ambas as equipas a soltarem-se e a apresentarem um futebol mais atrativo. O Sevilha apareceu mais disposto a jogar o jogo pelo jogo e procurou tomar conta do jogo. Procurou e até o conseguiu nos primeiros minutos, mas rapidamente o Benfica tomou conta do jogo e começou a aproximar-se com perigo da baliza adversária.
Adivinhava-se o golo e tal aconteceu na sequência de um canto marcado por Pizzi que Castillo finalizou nas alturas. O golo trouxe acréscimo de confiança à equipa e aos jogadores e começou-se a assistir a bonitas combinações por ambos os flancos que poderiam ter sido premiadas com o segundo golo. Apesar das várias alterações o nível exibicional manteve-se até ao final da partida.
Benfica Grimaldo
Grimaldo teve boas incursões pelo seu flanco
Apesar das tentativas do Sevilha de chegar à igualdade, o Benfica acabou por vencer o jogo pela margem mínima. Em suma, perante o adversário mais forte até ao momento, assistiu-se a um jogo bastante conseguido por parte do Benfica que deixa boas perspetivas para o futuro.


Momento | Positivo | Negativo


O momento em que o Benfica nos escolhe
Substituções: Foi bom ver o regresso ao relvado dos "mundialistas" Rúben Dias e Zivkovic. Que seja um regresso para ficarem, face aos rumores existentes. 
Prémio Pablo Aimar
Castillo: Excelente golo do chileno a confirmar que este ano vamos ter um poderio aéreo como há muito não se via.
Prémio Bruno Cortez
Lesões: Provavelmente a ausência de Ferreyra deve-se a motivos físicos. Svilar lesiona-se no aquecimento. A saga continua.


Aqui que ninguém nos ouve:
  • Mais uma vez os nossos emigrantes dão espetáculo nas bancadas. Faça chuva ou faça sol, na Suíça ou na Sibéria, eles estão presentes.
  • Era um sonho se este Odysseas acabasse com a verdadeira odisseia que tem sido a história da baliza do Benfica nos últimos tempos.
  • Ganhar aos mete nojo do Sevilha tem sempre sabor especial. Agora que têm um tal de Roque Mesa, que é a versão com cabelo do Rúben Micael, ainda sabe melhor.
  • E aquele canto cedido pelo Pizzi do meio campo a lembrar o jogo com o Setúbal? Estava a ver num "inácio" mexicano e diz o comentador: "momento de locura de pizzi" :))

Abraço

sexta-feira, 13 de julho de 2018


Benfica 1 x 1 Setúbal - Jogo de duas caras

Benfica Gedson Fernandes
Gedson Fernandes demonstrou que está preparado para o desafio
Ao segundo jogo da temporada já deu para sentir o calor dos adeptos do Benfica. Uma autentica romaria pintou o Bonfim de vermelho e branco. Ambas as equipas tinham vencido o primeiro jogo do torneio, pelo que o vencedor deste jogo conquistaria o troféu Torneio do Sado. O empate também era suficiente para a vitória do Benfica no torneio.
Rui Vitória deu continuidade à base que tinha apresentado no jogo anterior promovendo alterações que parecem ir no sentido do onze titular mais expectável. Na baliza Odysseas entrou para o lugar de Svilar. Cervi ocupou a ala esquerda e Pizzi jogou descaído pela direita. Na frente de ataque aquela que se espera seja a dupla titular, Jonas e Ferreyra.

Suplentes: Svilar, Bruno Varela, André Ferreira, Alex Pinto, Ebuehi, Yuri Ribeiro, Lema, Lisandro, Samaris, Keaton, Alfa Semedo, Ola John, Willock, João Félix, Chiquinho, João Amaral, Heriberto e Castillo

Rasgadinho para a fase da época

Continua a curiosidade em ver as caras novas em ação. Odysseas na baliza apenas teve a primeira ocasião para se mostrar aos 40 minutos de jogo e correspondeu. Conti pareceu mais entrosado com Jardel. Gelson voltou a merecer a confiança do treinador e correspondeu, enchendo o campo. Ferreyra dá uma presença na área que há muito não tínhamos, apresentando argumentos fortíssimos no jogo aéreo.
O jogo teve uma intensidade bastante aceitável para uma fase tão precoce da temporada. Os jogadores do Setúbal entregaram-se ao jogo com bons índices de agressividade e o jogo ganhou com isso já que o Benfica começou a responder na mesma moeda e o jogo não caiu naquele ritmo mais pausado de pré-época.
Benfica Facundo Ferreyra
Ferreyra estreou-se a marcar com o Manto Sagrado
O domínio do Benfica foi em crescendo, apresentando boas combinações pela ala esquerda, enquanto que do lado contrário os movimentos interiores de Pizzi não eram devidamente compensados pela subida de André Almeida. O Benfica torna-se mais seguro com Pizzi nesta posição mas tal exige um lateral que dê mais profundidade. O golo acabou por surgir num cabeceamento de Ferreyra após uma excelente movimentação dentro da área.

Muitas mexidas a prejudicar

As várias alterações efetuadas no intervalo do jogo vieram quebrar a boa exibição do Benfica e até mesmo a qualidade do jogo. Principalmente a nível ofensivo faltaram as referências que ancorassem a entrada de tantos jogadores de tão tenra idade. Em termos defensivos a estabilidade foi mantida.
O jogo recomeçou praticamente com o golo do empate num lance confuso na área Benfiquista. Procurou o Benfica adiantar-se novamente no marcador mas a inspiração não era muita. Provavelmente esta segunda parte foi mais consequente com esta fase da pré-temporada, a primeira é que terá tido um ritmo e qualidade superior ao esperado.
Benfica Odysseas Vlachodimos
Estreia com pouco trabalho para Odysseas Vlachodimos
Individualmente não há muito a destacar entre os reforços nesta segunda parte. Ainda assim deu para ver a estreia absoluta de Ebuehi com a camisola do Benfica. O empate foi suficiente para conquistar o troféu, o que é sempre bom, independentemente da importância do mesmo.


Momento | Positivo | Negativo


O momento em que o Benfica nos escolhe
Intervalo: As muitas mexidas ao intervalo prejudicaram muito a qualidade do jogo. 
Prémio Pablo Aimar
Ferreyra: Um golo, precedido de uma excelente movimentação na área, que deixa água na boca.
Prémio Bruno Cortez
Cânticos: Ainda estamos na pré-época e já se ouvem os cânticos insultuosos contra o Benfica. Quando é que estas situações começam a ser devidamente punidas pela liga?


Aqui que ninguém nos ouve:
  • Bem mister, está na hora de começar a cortar as gordurinhas. Há muita gente que por uma razão ou por outra é demasiado óbvio que não pode fazer parte do plantel nesta temporada.
  • Por outro lado também é demasiado óbvio que continuam a faltar dois ou três reforços na verdadeira acepção da palavra. Ouviu presidente?
  • Aquele Semedo à fruta que distribui já deve ter trabalhado para um certo clube. Teve pelo menos cinco lances para cartão amarelo.
  • O Valdu Té do Setúbal tem algo de Neymar e não é a qualidade técnica.

Abraço

quarta-feira, 11 de julho de 2018


Benfica 3 x 0 Napredak - Matar saudades

Benfica futebol Jardel
Jardel estreia-se com dois bons golos
Finalmente temos Benfica. Apesar do Mundial servir de entretenimento, a ausência de jogos do Glorioso deixa um vazio difícil de preencher. Mesmo sendo um jogo inserido num torneio particular, voltar a ver o nosso Benfica em campo é sempre compensador. Pena é que a organização não tenha tido em atenção a meia-final do Campeonato do Mundo, impedindo assim a habitual romaria dos adeptos Benfiquistas.
Rui Vitória apresentou dois onzes distintos em cada uma das partes, sendo que na segunda parte ainda procedeu a duas substituições. O primeiro onze apresentou maior estabilidade em relação aos jogadores que transitam da época passada, já na segunda parte foram muitas as novidades em campo.

Suplentes: Varela, Vlachodimos, André Ferreira, Alex Pinto, Lisandro, Lema, Yuri Ribeiro, Keaton Parks, Alfa Semedo, Heriberto, Jonas, Cervi, Ferreyra, Chiquinho, Ola John, Willock e João Amaral.

Um Capitão goleador

Estes jogos de início de época mais do que para ver o rendimento coletivo de equipa despertam a curiosidade para o desempenho dos reforços para a nova época. Nesta primeira parte houve a oportunidade de ver as aquisições Conti e Castillo, e os promovidos Gedson e João Félix.
Pela valia do adversário Conti não foi muito posto à prova em termos defensivos, mas revelou facilidade na saída com bola. Castillo estreou-se com um golo, o que é sempre motivador, e demonstrou ser um avançado sempre à procura do golo. Gedson demonstrou claramente que está preparado para integrar o plantel e ser opção válida para o treinador. Quanto a João Félix basta ver os primeiros toques na bola para perceber a sua imensa qualidade.
Benfica futebol Castillo
Castillo faturou na estreia pelo Benfica
No que ao jogo diz respeito regista-se uma exibição agradável do Benfica marcada pelo já citado golo de Castillo num remate seco ao segundo poste. Depois apareceu o guerreiro Jardel a dominar nas alturas fazendo dois golos de belo efeito.

Muitas caras novas

A segunda parte do jogo trouxe mais novidades permitindo ver os regressados André Ferreira e Yuri Ribeiro, os reforços Lema, Chiquinho, Alfa Semedo e Ferreyra e os promovidos Alex Pinto, Keaton Parks e Heriberto.  Oportunidade ainda para ver Ola John de regresso à equipa principal do Benfica.
André Ferreira demonstrou atributos interessantes e parece estar na luta pela permanência no plantel. Alex Pinto precisa claramente de rodar numa equipa da primeira liga. Yuri Ribeiro poderá ser uma alternativa para a lateral esquerda. Keaton Parks e Heriberto também teriam muito a lucrar com um bom empréstimo, embora este último demonstre uma irreverência que o pode transformar numa espécie de "joker".
Benfica futebol André Ferreira
André Ferreira fechou a baliza
Tal como Conti, Lema não foi muito posto à prova em termos defensivos, tendo-se destacado pelo bom movimento ofensivo que lhe permitiu cabecear uma bola à barra. Alfa Semedo demonstrou que pode ser uma das surpresas da nova época. Chiquinho confirmou os atributos técnicos que lhe têm sido atribuídos. Por fim Ferreyra demonstrou que é um verdadeiro jogador de área evidenciando um posicionamento e jogo de cabeça como há muito não se via na Luz. Por fim gostava de ver Ola John com uma série de quatro, cinco jogos a titular, mas isso sou eu que sou um otimista inveterado.


Momento | Positivo | Negativo


O momento em que o Benfica nos escolhe
Despedida: O momento deste jogo é quando reparamos na ausência do Senhor Shéu do banco do Benfica. Muito obrigado pelas décadas de dedicação ao Clube. 
Prémio Pablo Aimar
Jardel: Abrir a época com dois golos é sempre um bom presságio para um defesa central.
Prémio Bruno Cortez
Hora do jogo: Marcar um jogo particular para a mesma hora de uma meia final do Campeonato do Mundo não parece muito inteligente.


Aqui que ninguém nos ouve:
  • É só a mim que estas pré-épocas em sobrelotação fazem confusão? E ainda faltam os "mundialistas". É muito bonito dar oportunidades a todos, mas não me parece que a qualidade do trabalho não se ressinta.
  • Finalmente, crl! Finalmente ganhamos uma disputa nos "penaltis".
  • Bem o Benfica a convidar os miúdos tailandeses. Tanto por lhes proporcionar uma semana à Benfica como por poder mostrar "in loco" aos nossos atletas o que são heróis a sério.
  • Este Ola John é craque dos pés ao pescoço. Se a cabeça acompanhasse...

Abraço

terça-feira, 10 de julho de 2018


segunda-feira, 2 de julho de 2018


Modalidades à Benfica! - A época em resumo


Benfica Andebol Masculino

Andebol

Taça de Portugal

VENCEDOR (link): Benfica 31 - 24 Sporting


Benfica Basquetebol Feminino

Basquetebol

Época terminada sem conquistas



Benfica Basquetebol Masculino

Basquetebol

Taça Hugo dos Santos

VENCEDOR (link): Benfica 99 - 85 Oliveirense

Supertaça

VENCEDOR (link): Benfica 104 - 74 CAB Madeira


Benfica Futsal Feminino

Futsal

Campeonato Nacional Futsal Feminino

CAMPEÃO (link): 1º Lugar - 14J 12V 0E 2D 36P

Taça de Portugal

VENCEDOR (link): Benfica 3 - 1 Novasemente

Supertaça

VENCEDOR (link): Benfica 3 - 0 Novasemente

Taça de Honra AF Lisboa

VENCEDOR (link): Benfica 2 - 1 Sporting


Benfica Futsal Masculino

Futsal

Taça da Liga

VENCEDOR (link): Benfica 5 - 2 Sporting    


Benfica Hóquei Patins Feminino

Hóquei em Patins

Campeonato Nacional Feminino

CAMPEÃO (link): 1º Lugar - 14J 14V 0E 0D 42P

Taça de Portugal

VENCEDOR (link): Benfica 7 - 3 CH Carvalhos 

Supertaça

VENCEDOR (link): Benfica 4 - 1 Stuart Massamá


Benfica Hóquei Patins Masculino

Hóquei em Patins

Taça Intercontinental

VENCEDOR (link): Benfica 5 - 3 Reus

Elite CUP

VENCEDOR (link): Benfica 4 - 1 Sporting


BenficaVoleibol Masculino

Voleibol

Taça de Portugal

VENCEDOR (link): Castêlo da Maia 1 - Benfica (26-24 | 18-25 | 22-25 | 12-25)


Abraço

Espreite também: