sábado, 24 de fevereiro de 2018


Paços vs Benfica - Justiça aos Otchenta e Otcho

Benfica Futebol Festejos
É esta a mentalidade correta
Deslocação ao norte do país para defrontar o Paços de Ferreira na 24ª jornada da Liga NOS 2017/18. Num campo sempre difícil para qualquer adversário os três pontos eram o objetivo primordial para continuar na luta pela vitória no campeonato. O norte nunca desilude e mais uma vez os Benfiquistas disseram presente e foram incansáveis no apoio à equipa.
Rui Vitória teve a possibilidade de apresentar o mesmo onze pelo terceiro jogo consecutivo, algo que já não acontecia há muito tempo.
Onze inicial: Varela, André Almeida, Rúben Dias, Jardel, Grimaldo (Seferovic 86'), Fejsa, Rafa, Pizzi, Zivkovic (Raúl 59'), Cervi e Jonas (Samaris 94').
Suplentes: Svilar, Luisão, Samaris, João Carvalho, Diogo Gonçalves, Raúl e Seferovic.

Primeira parte pobre, muito pobre

O Benfica iniciou a partida na Mata Real de forma muito amorfa perante um adversário que se apresentou hipermotivado, como todos os que defrontam os encarnados. Este mau início acabou por redundar no golo da equipa da casa ainda não estavam decorridos os primeiros dez minutos da partida.
Se já se adivinhava um jogo complicado, pior se tornou. O Paços assumiu uma postura mais defensiva, muito agressiva e com os incontornáveis momentos de anti-jogo a serem a nota dominante. Desta vez os jogadores do Benfica não mantiveram a frieza apresentada na jornada anterior, por exemplo, e o nervosismo foi a nota dominante.
Benfica Futebol Festejos
Festejos mais do que merecidos
No último quarto de hora da primeira parte o Benfica apareceu finalmente com algum perigo na área do Paços de Ferreira e dispôs de algumas situações para chegar à igualdade. Rafa, Jonas e André Almeida viram os seus remates sempre intercetados pela defensiva adversária. O golo não apareceu e o Benfica saía para o intervalo sem o desejado golo do empate.

Recuperar o tempo perdido

O intervalo serviu para acordar a equipa para a realidade do jogo, para o facto de só com outros níveis de intensidade seria possível a reviravolta no marcador. E a mensagem passou, entrada forte sinalizada logo com um bom remate de Rafa com Jonas a falhar a recarga. O Benfica era agora uma equipa dominadora e objetiva na procura do golo.
Apesar da boa atitude o golo não aparecia e Rui Vitória faz entrar Raúl e muda o sistema de jogo. Com esta mudança o Benfica ganha presença na área e adivinha-se o golo do empate. E foi dos pés do inevitável Jonas que o golo surgiu a concluir cruzamento de Rafa. Curiosamente após o golo o Benfica perdeu algum do gás que vinha apresentando e o jogo fica mais equilibrado. 
Foi já com Seferovic em campo que o suspeito do costume colocou o Benfica na frente do marcador após assistência do suíço numa jogada iniciada por Raul. Golo que colocou justiça no marcador e foi festejado efusivamente por todos os jogadores e todo o banco juntos dos fiéis adeptos encarnados. No período de descontos houve tempo ainda para Rafa marcar o seu primeiro da temporada, um golo mais do que merecido.
Benfica Futebol Adeptos
É por esta gente que têm que dar tudo em cada jogo
Jogo muito difícil, como serão todos até ao fim do campeonato. São muitos os adversários a derrotar em cada jornada, os que correm por dentro e os que correm por fora. Haja cabeça e coração para os ir enfrentando semana a semana.

#naomefodas mode on
  • Não se pode dar golos de avanço nestes jogos. São injeções de adrenalina em adversários que já está supervitaminados.
  • Podem não acreditar mas quando o mrds do Rúben Merdael foi substituído fiquei perfeitamente convencido da vitória. Não conheço muitos tão escabrosos.
  • São malas senhor, são malas. Umas cheias de papel, outras mais amarelinhas. Valha-nos Jonas que as mete na gaveta e não liga nada a malas.
  • A atitude da equipa do Paços fez-me lembrar o Estoril na última quarta-feira. Ups! Enganei-me, não foi na atitude, foi na cor das camisolas.
#naomefodas mode off

Venha o próximo e viva o Benfica!!!

Destaques do Baralho

REI: Jonas – Mais dois golos do melhor jogador que pisa os relvados portugueses nos últimos anos.
ÁS: Rafa – Está em vários lances de perigo, a rematar, a assistir e finalmente a marcar. Bem-vindo, campeão.
SENA: Tochas – Incompreensível o lançamento de tochas para o relvado quando a equipa está a perder. Se são infiltrados que o fazem, identifiquem-nos.
DUQUE: Anti-jogo – Infelizmente uma constante nestes jogos onde as malas circulam.
Abraço


Sem comentários:

Enviar um comentário

Espreite também...

Conquistas à Benfica! - IV