terça-feira, 5 de dezembro de 2017


Benfica vs Basileia - Sexto prego no caixão

Benfica Futebol Liga dos Campeões
Este símbolo merece respeito em todos os momentos
Para encerrar a sua participação na Liga dos Campeões o Benfica recebeu os suíços do Basileia. O objetivo passava apenas pela defesa do prestígio do clube e pelo amealhar do sempre apetecido prémio monetário associado à vitória, já que qualquer que fosse o resultado o Benfica não fugiria ao último lugar do grupo. 
O onze apresentado por Rui Vitória apenas manteve dois jogadores do confronto da jornada anterior da Liga NOS; Jardel e Pizzi.  Foi, portanto, um onze de segundas linhas que subiu ao relvado do estádio da Luz para tentar de alguma forma minimizar os danos da campanha europeia 2017/18.
Onze inicial: Svilar, Douglas, Lisandro, Jardel, Eliseu, Samaris (A. Almeida 73'), João Carvalho, Pizzi (Gabriel 73'), Zivkovic, Diogo Gonçalves (Jonas 62') e Seferovic.
Suplentes: Varela, A. Almeida, Luisão, Rafa, Gabriel, Jonas e Raúl Jiménez.

Cinismo suíço premiado imerecidamente

O início deste jogo foi quase uma cópia fiel de jogo de Basileia onde a então equipa da casa abriu o marcador praticamente na primeira vez que se aproximou da baliza do Benfica. Dadas as muitas alterações no onze encarnado temeu-se que a equipa acusasse muito este golo sofrido, mas tal não se verificou.
À imagem do último jogo para o campeonato o adversário mais uma vez devia ficar reduzido a dez unidades logo aos dez minutos de jogo. Desta vez a entrada sobre Pizzi ainda deu direito a cartão amarelo para o jogador do Basileia, mas o que é certo é que o vermelho ficou no bolso.
Benfica Futebol Liga dos Campeões
Nunca percebi para que servem estes bonecos
Ao longo da primeira parte o Benfica foi apresentando um futebol relativamente agradável, com posse de bola, boa circulação e aproveitamento de ambos os flancos. As oportunidades foram aparecendo mas por inoperância dos atacantes e boa oposição da defensiva contrária o golo não apareceu. Perto do fim fica mais um lance de mão na área adversária que o árbitro de baliza conseguiu não ver.

Quem não marca sofre

A segunda parte recomeçou com o Benfica a insistir na busca do golo do empate.Foram vinte minutos de pressão com a bola sempre próximo da baliza da equipa suíça mas faltou sempre qualquer coisa para que o golo surgisse.
Quando o Benfica se preparava para "reforçar" o onze para o forcing final, surge o segundo golo do Basileia. É um lance que define um pouco o que é Samaris: grande corte em esforço; após a reparação passe disparatado para os pés do adversário; faz alta sobre o adversário e na sequência da falta aparece o golo. Após o golo foi tudo muito mau e apenas se desejou a rápida chegada do apito final.
Esta é uma época para não esquecer em termos das provas da UEFA. A história e o prestígio do Benfica passam muito pelo seu historial Europeu. Já que mais nada retiramos desta participação, que retiremos ao menos ensinamentos para que tal nunca mais se repita.
Benfica Futebol Liga dos Campeões
Desolador o aspeto da Catedral

#naomefodas mode on
  • Trocar nove jogadores num jogo da Liga dos Campeões, Mister? Confundiu com um jogo da Taça da Liga? Pqp!
  • Agora é olhar para o amarelo do Estoril e pensar que é o Dortmund para a Liga dos Campeões.
  • Quase a chegar janeiro e ainda acham que o Douglas e o Gabriel vão ser soluções de futuro? Vão gozar com o crl.
  • Toca a enterrar o caixão bem enterradinho e bora lá Rumo ao Penta!!!.
#naomefodas mode off

Venha o próximo e viva o Benfica!!!

Destaques do Baralho

REI: Jardel – Continuam os sinais de que a recuperação do "Guerreiro da Luz" pode ser uma realidade.
ÁS: Adeptos – Os presentes.
SENA: Árbitros de baliza – Sem dúvida um dos melhores empregos do mundo. Pagos para não fazer nada e ainda viajam à grande e à francesa.
DUQUE: Adeptos – Os ausentes.
Abraço

Sem comentários:

Espreite também: