segunda-feira, 2 de outubro de 2017


Marítimo vs Benfica - Prometer e não cumprir!

Benfica Futebol Rui Vitória
Terá Rui Vitória o grupo do lado dele?
Deslocação sempre difícil do Benfica ao Caldeirão dos Barreiros para defrontar o Marítimo na oitava jornada da Liga NOS 2017/18, desta vez com o aliciante, pelo menos para os maritimistas, de estar em jogo o terceiro lugar da tabela. Os madeirenses mais uma vez mostraram-se à altura dos acontecimentos colorindo as bancadas em tom encarnado.
Talvez como manifestação de um voto de confiança, Rui Vitória apostou praticamente na mesma equipa que foi goleada em Basileia na última quarta-feira para a Liga dos Campeões. A única alteração foi a entrada de Salvio para o lugar ocupado por Zivkovic na Suíça. Se a ideia passava pelo voto de confiança faria mais sentido apresentar o mesmo onze. No banco sentava-se pela primeira vez o jovem guarda redes Svilar.
Onze inicial: Júlio César, A. Almeida, Luisão, Jardel, Grimaldo, Fejsa, Pizzi (Krovinovik 70'), Salvio, Cervi (Rafa 75'), Jonas (Seferovic 83') e Raúl Jiménez.
Suplentes: Svilar, Rúben Dias, Filipe Augusto, Krovinovic, Zivkovic, Rafa e Seferovic.

Obra prima a abrir

O jogo da Madeira começa praticamente com o golo do Benfica, e que golo. Jonas flete da esquerda para o centro e remata em arco ao poste mais distante fazendo a bola entra exatamente onde a coruja faz o ninho. Estava aberto o marcador e esperava-se um efeito balsâmico para o nervosismo que a equipa pudesse apresentar. E teve-o, mas apenas no sentido em que a equipa não precisou de jogar sofregamente na procura do golo e procurou jogar mais na cautela e menos no risco.
O jogo entrou numa toada muito morna com o Marítimo a tentar reagir e o Benfica a mostrar incapacidade para apresentar um futebol dominador, os níveis físicos e de confiança não o permitem. Assistiu-se a uma primeira parte pobre com o Benfica a procurar segurar com unhas e dentes o golo de Jonas, algo que esta época não tem dado bons resultados.
Benfica Futebol Jonas
Mais um grande golo de Jonas

Um filme que se repete

A segunda parte teve um ritmo ligeiramente superior mas nunca atingiu um nível minimamente razoável.  Júlio César ainda nega o golo ao Marítimo com uma grande defesa para canto. O Benfica ganha algum ascendente e tem uma boa oportunidade para fazer o segundo através de Salvio. Normalmente quem não marca sofre e assim sucedeu. Muito espaço e tempo concedido ao jogador do Marítimo para que colocasse a bola na área, hesitação entre André Almeida e Júlio César, e estava feito o golo do empate.
Pode-se dizer que o Benfica nem sequer conseguiu reagir ao golo do empate. A saúde física e mental não o permite. Foi mesmo do Marítimo a grande oportunidade de golo, com Júlio César a ganhar o duelo ao avançado da equipa da casa. A única oportunidade de golo para o Benfica surge já no período de descontos com Salvio a não conseguir a recarga vitoriosa após bom remate de Raúl.
Mais uma vez uma boa entrada a prometer um bom jogo, que acaba por não se cumprir. Este resultado até poderia ser mais ou menos digerido noutras circunstâncias. Num momento em que se poderia encurtar distâncias para os dois da frente, sabe mesmo a muito pouco. Vem aí paragem para os jogos das seleções, momento para recuperar índices físicos e psicológicos ou momento para mudanças? Aguardemos.

#naomefodas mode on
  • Olho para cara dos jogadores e não sinto nada… só vazio. Parecem perdidos, sem qualquer crença. Pqp, como chegamos a este ponto?!?
  • Quando os lançamentos do Salvio parecem ser a única forma de chegar à área do adversário, tá tudo dito.
  • Nunca me vou calar crl. Aquela mão não é penaltie? E o famoso VAR?
  • Vejam o que escrevi no post da Santa Aliança. Percebem agora? A coação não funciona? 
#naomefodas mode off

Venha o próximo e viva o Benfica!!!
Benfica Futebol Júlio César
Júlio César evita o pior com duas boas defesas

Destaques do Baralho

REI: Jonas – Pelo golo e pelas tentativas de fazer algo que faça sentido dentro do campo.
ÁS: Júlio César – Pela defesa que evitou a derrota nos Barreiros.
SENA: Golo de Jonas – Não festejei logo, fiquei à espera que o VAR o validasse. Golo pornográfico, pensei que o iriam anular por ser para maiores de 18 anos.
DUQUE: Relvado – Do pior que se tem visto nos últimos anos.
Abraço


Sem comentários:

Enviar um comentário

Espreite também...

Benfica 2 - 1 Rio Ave - Extremos resolvem!