terça-feira, 31 de outubro de 2017


Manchester United vs Benfica - Lei de Murphy

Benfica Futebol Mile Svilar
Muito bem Svilar perante Martial
O Benfica deslocou-se a Old Traford, o Teatro dos Sonhos, para defrontar o Manchester United de José Mourinho na 4ª jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões. Era obrigatório vencer o jogo para continuar a sonhar com o apuramento para os oitavos de final.
Rui Vitória preparava-se para apresentar praticamente o mesmo onze que havia recebido os ingleses no Estádio da Luz. A troca de Luisão por Jardel seria a única alteração promovida pelo treinador encarnado. Entretanto Filipe Augusto lesionou-se no aquecimento promovendo a titularidade de Samaris.
Onze inicial: Svilar, Douglas, Rúben Dias, Jardel, Grimaldo (Eliseu 64'), Fejsa, Samaris, Pizzi (Jonas 81'), Salvio, Diogo Gonçalves e Raúl Jiménez (Seferovic 75').
Suplentes: Júlio César, Lisandro, Eliseu, Zivkovic, Cervi, Jonas e Seferovic.

Boa atitude, pouca estrelinha

O Benfica entrou na partida consciente que só a vitória interessava e por isso a equipa entrou a jogar no campo todo, dividindo o jogo com o United. Por várias vezes a bola rondou a baliza da equipa da casa embora sem grande perigo. O Manchester apostava mais nas bolas longas para apanhar a equipa do Benfica com menor organização defensiva. Perto dos quinze minutos dois lances que representam bem o que tem sido esta competição; penaltie não assinalado sobre Pizzi, seguido de penaltie muito duvidoso assinalado a favor da equipa de José Mourinho. Brilhou Svilar com uma excelente defesa ao remate de Martial.
Benfica Futebol Diogo Gonçalves
Diogo Gonçalves perto do golo por duas vezes
A defesa de Svilar foi o tónico para os bons momentos do Benfica que se seguiram com destaque para um excelente remate de Diogo Gonçalves ao qual respondeu De Gea com o mesmo brilhantismo. O jogo manteve uma toada equilibrada até perto do intervalo. No último minuto da primeira parte Matic remata ao poste, a bola ressalta nas costas de Svilar e entra na baliza. Nesta fase se alguma coisa pode correr mal, consegue correr ainda pior.

O mal já estava feito

Com o golo a fechar a primeira parte o Manchester ficou na sua praia, apostando na circulação de bola e nas saídas rápidas para o ataque. O Benfica tem o seu melhor momento conseguindo recuperar muitas bolas e fazendo-a circular com segurança. Notava-se um acréscimo de confiança nos jogadores do Benfica com momentos de bom futebol. No entanto do outro lado estava uma equipa com uma excelente organização que não permitia grandes liberdades no seu reduto defensivo. 
Ainda assim o Benfica consegue importunar o United com um bom remate de Raúl e também em novo duelo entre Diogo Gonçalves e De Gea com este novamente a levar a melhor. De seguida Raúl dispõe da mais clara oportunidade da noite. Intercepta o passe entre os centrais da equipa da casa, isola-se e acerta no poste já com De Gea fora do lance. Nesta fase se alguma coisa pode correr mal, consegue correr ainda pior.
Quem não mata morre e logo de seguida nova grande penalidade assinalada contra o Benfica e desta vez Svilar nada pode fazer. O Benfica acusou muito este segundo golo e não mais se reencontrou. Registo apenas para um bom cabeceamento de Salvio após boa assistência de Jonas. O jogo termina com a derrota por dois golos, um resultado natural, mas injusto.
Benfica Futebol Adeptos
Adeptos deram espetáculo em Old Traford
Não foi neste jogo que o Benfica comprometeu a continuidade na prova. As derrotas com as outras duas equipas do grupo é que nunca poderiam ter acontecido. Resta agora acabar esta fase de grupos com a dignidade que a história do clube exige.

#naomefodas mode on  
  • Fds Nhaga, volta pra nós. Dobramos qualquer aposta. Com a tua ajuda se calhar ainda lá vamos. 
  • Numa equipa técnica de quinhentos elementos, ainda nenhum crl reparou que os cantos do Pizzi são mais perigosos para nós do que para os adversários. 
  • Aos que não sabem o que foi o Apito Dourado, vejam as arbitragens dos nossos jogos na Liga dos Campeões e multipliquem por dez.
  • Fdgp! Os do apito e os relatadores/comentadores das nossas tv´s. Pqop!
#naomefodas mode off

Venha o próximo e viva o Benfica!!!

Destaques do Baralho

REI: Svilar – Bem no penaltie. Muito bem em três boas intervenções à "Ederson", a sair aos pés do adversário.
ÁS: Diogo Gonçalves – Merecia um golo no Teatro dos Sonhos.
SENA: Adeptos – Mais uma "senografia" para mais tarde recordar. Parabéns!!!
DUQUE: Passes falhados – Não se podem falhar passes de três metros na primeira fase de construção. Isso mina toda a confiança da equipa.

Abraço


1 comentário:

  1. Lei de Murphy em todo o seu esplendor: Matic remata, a bola vai ao poste, ressalta nas costas de Svilar e entra; Jimenez remata, a bola ressalta no pé de um defesa do MU, vai ao poste e sai.
    Como o futebol é um lugar estranho (e porque não acredito em bruxos), ainda espero ver esta época o Svilar marcar dois golos de baliza a baliza.
    D. Gonçalves tem qualquer coisa de Robben, pena não ter a velocidade do holandês.
    Grimaldo também tem algo de Robben: é de cristal...
    Samaris e Pizzi: festival de passes falhados.
    Não foi mesmo por este jogo que falhámos...nesta prova já "morremos", agora é sobreviver nas provas internas.
    Abraço!

    ResponderEliminar

Espreite também...

Conquistas à Benfica! - IV