sábado, 21 de julho de 2018


Benfica 1 x 0 Sevilha - Rasgadinho


Benfica Nico Castillo
Nico Castillo a faturar nas alturas
A Suíça sempre foi um bastião do Benfiquismo, não sendo por isso de estranhar o apoio que o Benfica teve por parte dos emigrantes portugueses nesta deslocação a Zurique para aquele que era o teste mais difícil até ao momento nesta pré-temporada 2018/19.
Rui Vitória apresentou um onze muito idêntico ao primeiro jogo do Torneio do Sado, registando apenas a entrada de Sálvio para o lugar de João Félix remetendo Rafa para o flanco esquerdo da equipa. À última hora procedeu ainda à substituição de Svilar por Odysseas por lesão do primeiro no aquecimento.

Suplentes: Varela, Ebuehi, Luisão, Rúben Dias, Yuri Ribeiro, Alfa Semedo, Samaris, Zivkovic, Cervi, João Félix e Jonas.

Morno com alguns focos de "calor"

Na primeira parte deste jogo foi possível observar um reforço em cada um dos setores da equipa. Na baliza Odysseas entrou à última da hora para o lugar do Svilar e mostrou segurança em todos os lances onde teve intervenção. No centro da defesa Conti apresentou já um entrosamento bastante aceitável com Jardel e André Almeida. Esteve muito bem na definição da linha de fora-de-jogo, menos bem numa ou outra bola que entrou entre ele e André Almeida.
Benfica André Almeida
André Almeida com a fiabilidade do costume
No centro do terreno Gedson dividiu as despesas com Pizzi, quer na saída de bola ao lado de Fejsa, quer no apoio ao isolado Castillo. Alternavam também na pressão à primeira fase de construção do Sevilha. O jovem "reforço" apresentou-se com maior desenvoltura e espírito de iniciativa do que o seu parceiro do lado, parecendo querer marcar bem o seu território. Na frente Castillo demonstrou bons pormenores a jogar de costas para a baliza, segurando a bola e assistindo os seus colegas que surgiam no apoio. Teve poucas oportunidades de finalizar.
O resultado ao intervalo representa bem a ausência de verdadeiras oportunidades que se verificou. Um jogo relativamente bem jogado, com uma intensidade bastante aceitável para a fase da época e alguns momentos de maior "entrega" que trouxeram alguma vivacidade à bancada.

Excelente segunda parte

O reinício da partida trouxe um jogo ainda mais intenso, com ambas as equipas a soltarem-se e a apresentarem um futebol mais atrativo. O Sevilha apareceu mais disposto a jogar o jogo pelo jogo e procurou tomar conta do jogo. Procurou e até o conseguiu nos primeiros minutos, mas rapidamente o Benfica tomou conta do jogo e começou a aproximar-se com perigo da baliza adversária.
Adivinhava-se o golo e tal aconteceu na sequência de um canto marcado por Pizzi que Castillo finalizou nas alturas. O golo trouxe acréscimo de confiança à equipa e aos jogadores e começou-se a assistir a bonitas combinações por ambos os flancos que poderiam ter sido premiadas com o segundo golo. Apesar das várias alterações o nível exibicional manteve-se até ao final da partida.
Benfica Grimaldo
Grimaldo teve boas incursões pelo seu flanco
Apesar das tentativas do Sevilha de chegar à igualdade, o Benfica acabou por vencer o jogo pela margem mínima. Em suma, perante o adversário mais forte até ao momento, assistiu-se a um jogo bastante conseguido por parte do Benfica que deixa boas perspetivas para o futuro.


Momento | Positivo | Negativo


O momento em que o Benfica nos escolhe
Substituções: Foi bom ver o regresso ao relvado dos "mundialistas" Rúben Dias e Zivkovic. Que seja um regresso para ficarem, face aos rumores existentes. 
Prémio Pablo Aimar
Castillo: Excelente golo do chileno a confirmar que este ano vamos ter um poderio aéreo como há muito não se via.
Prémio Bruno Cortez
Lesões: Provavelmente a ausência de Ferreyra deve-se a motivos físicos. Svilar lesiona-se no aquecimento. A saga continua.


Aqui que ninguém nos ouve:
  • Mais uma vez os nossos emigrantes dão espetáculo nas bancadas. Faça chuva ou faça sol, na Suíça ou na Sibéria, eles estão presentes.
  • Era um sonho se este Odysseas acabasse com a verdadeira odisseia que tem sido a história da baliza do Benfica nos últimos tempos.
  • Ganhar aos mete nojo do Sevilha tem sempre sabor especial. Agora que têm um tal de Roque Mesa, que é a versão com cabelo do Rúben Micael, ainda sabe melhor.
  • E aquele canto cedido pelo Pizzi do meio campo a lembrar o jogo com o Setúbal? Estava a ver num "inácio" mexicano e diz o comentador: "momento de locura de pizzi" :))

Abraço


Espreite também...

Benfica 1 x 1 Setúbal - Jogo de duas caras