sábado, 8 de fevereiro de 2020


Porto 3 - 2 Benfica: Tropeção!

Vinícius marcou a dobrar para o Benfica
Vinícius marcou a dobrar
O norte do país foi o palco da 20ª jornada da Liga NOS com o Benfica a deslocar-se à cidade do Porto para defrontar a equipa com o mesmo nome, segundo classificado do campeonato. Já há muitos anos que o Benfica não disputava este clássico com vantagem tão clara na classificação, mas numa fase ainda prematura da temporada a diferença está longe de ser definitiva. Apesar disso uma vitória do Benfica deixaria o campeonato bem encaminhado e permitiria uma maior concentração nas outras competições. Um empate deixaria tudo igual em termos pontuais, com a diferença de ficar para trás mais uma deslocação difícil e deixar um golpe na moral do adversário. A derrota, encurtaria a distância e dexaria o Porto mais moralizado, ainda assim o Benfica sairia do Dragão com uma margem superior à do ano passado e com um calendário teoricamente bem mais fácil do que o da temporada transata.
Foram poucas as alterações promovidas por Bruno Lage para esta partida sendo uma por lesão e outra por opção. A mais importante foi a ausência de Gabriel por lesão deixando o meio campo entregue a Weigl e Taarabt. A outra alteração acabou por ser algo surpreendente e passou pela titularidade de Chiquinho em detrimento de Cervi.


Porto vs Benfica - Liga NOS 2019/20
Zlobin, Tomás Tavares, Samaris (76'), Florentino, Seferovic (66'), Dyego Souza (84') e Cervi

Momento | Positivo | Negativo

O momento em que o Benfica nos escolhe
Penálti: O penálti que recolocou o Porto na frente do marcador tem muito que se lhe diga. Pelos vistos o próprio VAR andou a dizer em ações de formação que estes lances não são penálti. Além disso há uma clara mão nas costas de Ferro que parece que ninguém viu.
Prémio Pablo Aimar
Vinícius: Imperturbável perante um ambiente de guerrilha, voltou a mostrar eficácia na zona de finalização.
Prémio Bruno Cortez
Nomeações: A nomeação de Artur Soares Dias e Tiago Martins para este jogo foi mais uma real afronta ao Benfica e aos Benfiquistas. Há todo um histórico de prejuízos ao Benfica e de benefícios ao Porto que não permitem outra leitura.

Falta e cartão amarelo para Weigl
Falta e cartão amarelo para Weigl

Bitaites do terceiro anel:
  • Uma derrota pela margem mínima num cenário digno de terceiro mundo desde a véspera do jogo, frente a um adversário turbinado, reforçado com duas estrelas como Artur Soares Dias e Tiago Martins, não é uma vitória moral, mas é algo com que consigo conviver com naturalidade.
  • Bruno Lage já deu mais do que provas da capacidade que tem para reagir aos maus resultados e preparar a equipa para aquilo que interessa: o próximo treino, o próximo jogo. Venha daí mais uma grande série de vitórias.
  • Colocar em causa a mentalidade e capacidade de lidar com a pressão de um conjunto de jogadores que ganhou 5 dos 6 últimos campeonatos, alguns deles com retas finais em que não havia qualquer margem de erro, é uma tremenda injustiça.
  • Como escreveu num livro um dos paineleiros da nossa praça, bastava uma gotinha e ganhava todos os lances de cabeça ao gigante adversário. Junta-se a isso o amarelar três dos quatro jogadores da zona central do terreno a meio da primeira parte e está o cozinhado feito.
  • Fomos perfeitos? Não, longe disso. Temos limitações? Sim, temos. Vamos reagir? Sim, vamos. Todos juntos vamos levar a equipa ao colinho até ao sucesso.
  • Bruno Lage explicou o que se passou com Gabriel. Chegamos a um ponto em que se põe tudo e todos em causa sem o mínimo de reflexão. Inclusive muitos adeptos do Benfica que se deixam embalar pelo canto da sereia.
  • Recuperar as forças, assentar as ideias e concentração total para o jogo com o Famalicão que é claramente o jogo mais importante que temos pela frente.
Abraço

1 comentário:

  1. se existe jogo em que o cervi tem de jogar, independentemente de quem seja o defesa esquerdo, é este considerando que grimaldo tem muitas limitações a defender e ferro esta numa fase horrível ainda mais.
    sabendo que gabriel não podia jogar ainda mais importante era cervi jogar é que se já se sabia que eles iam apostar por aquele lado assim foi uma via rápida os três lances foram todos pelo lado esquerdo sempre com o grimaldo e o ferro comidos.

    só que o problema não é a mentalidade destes jogadores é a do clube em si, quantas vezes já tivemos hipotese de dar uma machadada num dos nossos adversários invariavelmente não só não a damos como ainda por cima lhes damos oxigénio.
    mais uma vez entramos contemplativos quando sabíamos que eles iam entrar com tudo.

    despejar pontas de lança para dentro do campo não faz sentido nenhum quando depois eles até passam mais tempo fora da área do que dentro, então o caso do vinicius de o encostar mais a uma ala deixando ele de estar onde é mais perigoso é só parvo.
    e que depois de termos os três em campo nem uma jogada de perigo quanto mais uma oportunidade criamos.

    ResponderEliminar

Espreite também: