sexta-feira, 11 de janeiro de 2019


Santa Clara 0 - 2 Benfica: Agridoce!

Benfica André Almeida
André Almeida fez a assistência para o primeiro
A primeira volta da Liga NOS 2018/19 terminou para o Benfica com a visita aos Açores para defrontar o do Santa Clara, equipa que tem vindo a fazer um campeonato interessante neste seu regresso ao escalão maior do futebol português. Os açorianos têm grande paixão pelo Benfica e não deixaram de o demonstrar desde o momento em que a comitiva encarnada colocou os pés em terra. O jogo era de importância especial, como serão todos até ao final, para manter vivas as esperanças de chegar ao topo da classificação.
Bruno Lage procedeu a duas alterações relativamente ao jogo com o Rio Ave com Gabriel e Zivkovic a substituírem Salvio e Cervi. A alteração deixava em aberto a possibilidade do regresso ao 4-3-3, com João Félix encostado à esquerda, ou manter o 4-4-2, com Pizzi a jogar sobre a direita e Zivkovic na ala contrária. Destaque para a ausência de Ferreyra dos convocados após ter somado minutos frente ao Rio Ave.

Santa Clara vs Benfica - Liga NOS 2018/19
Suplentes: Svilar, Samaris, Gedson (91'), Krovinovic, Salvio (70'), Cervi e Castillo (84').

Muito controlo, pouco rasgo

Os primeiros minutos da partida mostraram que Bruno Lage manteve a aposta no 4-4-2 com Pizzi a fazer o lado direito do meio campo e Zivkovic no lado contrário. Logo no início Seferovic aparece bem nas costas da defensiva adversária mas a tentativa de chapéu saiu muito alta. Apesar do controlo do jogo faltava velocidade ao futebol do Benfica. Pizzi e Zivkovic nas alas são sinonimo de um jogo mais cerebral. Se lhe somarmos Gabriel no centro do terreno fica a faltar quem acelere o jogo benfiquista.
Benfica Gabriel
Gabriel fez um jogo positivo
Perto do quarto-de-hora de jogo Zivkovic assiste João Félix já bem dentro da área mas o remate sai ao lado da baliza. Logo de seguida é Rúben Dias a rematar de pé esquerdo com a bola a sair muito desenquadrada. O Santa Clara também chegava perto da baliza mas não conseguia criar perigo. A meio da primeira parte surge o golo do Benfica com Seferovic a concluir com frieza na cara do guarda-redes. Estava aberto o marcador no primeiro remate enquadrado com a baliza.
O Santa Clara tentou reagir e incomodou finalmente Odysseas que correspondeu com duas defesas fáceis. Seferovic volta a surgir isolado após bom passe de João Félix mas o toque em esforço acaba nas mãos do guarda-redes. Perto do intervalo o central do Santa Clara faz falta sobre Pizzi com o árbitro a marcar penálti, que seria desmarcado após consulta ao VAR. Da revisão da decisão resultou ainda a expulsão do central da equipa da casa.

Resolver e levantar o pé

O jogo praticamente recomeça com o segundo golo do Benfica num cabeceamento de Jardel após canto marcado por Pizzi. Com uma vantagem de dois golos e a jogar em superioridade numérica esperava-se o natural avolumar do marcador ao longo da segunda parte. Fez por isso o Benfica nos primeiros quinze minutos e por várias vezes o golo esteve perto, quase sempre por intermédio de Seferovic, mas a bola não voltou a entrar na baliza dos açorianos.
Benfica Pizzi
Assistiu Jardel para o segundo golo
Após essa fase de maior assédio benfiquista o jogo entra então numa toada mais morna e menos interessante. Apesar de mais uma ou outra oportunidade de golo para o Benfica o jogo foi muito pobre até ao apito final do árbitro. O baixar de ritmo dos encarnados permitiu inclusive que um Santa Clara em inferioridade numérica rondasse mais vezes a baliza de Odysseas do que  era desejado.
O jogo terminou sem que o resultado se alterasse e permitiu ao Benfica somar três pontos preciosos que serviram para ultrapassar o Sporting de Braga e esperar pela perda de pontos dos outros dois rivais diretos no clássico de Alvalade. Segue-se a deslocação a Guimarães para a Taça de Portugal num jogo em que vai ser preciso jogar mais e melhor para levar de vencida o Vitória local.


Momento | Positivo | Negativo


O momento em que o Benfica nos escolhe
VAR: Penálti, não penálti, amarelo, vermelho! Mesmo com várias repetições a dúvida persiste. Acho que o protocolo diz que em caso de dúvida prevalece a decisão inicial do árbitro. Não se percebe a reversão da decisão da mesma forma que não se percebe porque transforma o amarelo em vermelho. 
Prémio Pablo Aimar
Três pontos: Numa jornada em que o Braga já havia empatado e com um clássico em que pelo menos um dos outros rivais vai obrigatoriamente perder pontos, era fundamental trazer dos Açores os três pontos da vitória.
Prémio Bruno Cortez
Bancada vazia: Não consigo perceber como é que houve gente que passou quatro horas na fila para comprar bilhete e não o conseguiu, e depois vê-se parte das bancadas vazias.


Aqui que ninguém nos ouve:
  • Não se percebe porque é que a equipa não aproveitou as condicionantes deste jogo para fazer um resultado robusto, aproveitando para reforçar o élan ganho na vitória com reviravolta frente ao Rio Ave. Já o mesmo aconteceu em Vila da Aves após a vitória entusiasmante frente ao Braga.
  • A ganhar por 0-2 frente a uma equipa em inferioridade numérica custa a perceber uma substituição aos 84 minutos e outra aos 91. Se me custa a mim, mais custará aos jogadores que entraram.
  • Esta decisão do Capela/VAR tresanda a compensação por todos os lados. Só tem é que manter a decisão do penálti. Como não teve o bom senso de a manter...
  • Quando é apresentado o novo treinador ou confirmado o atual?

Abraço


3 comentários:

  1. finalmente rotação na equipa e alterar o onze conforme as características do adversário, coisa que não se via com o rui, alias esta ultima nem com o o seu antecessor.

    mas com o pizzi a ir muitas vezes para dentro é uma espécie de 433 com dois avançados.

    a razão de o fabio não ter visto logo o jormelho é que em caso de penalty acabou a tripla penalização, agora tenho duvidas que a falta não tenha continuado dentro e por isso a expulsão pareceu compensação.

    o seferovic não pode falhar tantas oportunidades e com as que teve tinha na pior das hipóteses ter marcado pelo menos mais um e isso explica o resultado curto porque algumas perdidas foram escandalosas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não consigo imaginar o Capela e expulsar o Fábio neste lance se tem marcado livre fora da área logo à primeira.

      Eliminar
    2. sim também concordo até porque até é capaz de ser exagerado porque o pizzi embora fosse na direcção da baliza e com probabilidade de marcar mas o césar ia fazer pressão ele não ficava completamente isolado.
      por isso cheira a compensação.

      Eliminar

Espreite também...

Benfica no Pavilhão - resultados da semana XXI