quarta-feira, 19 de dezembro de 2018


Montalegre 0 - 1 Benfica: Nem te Conti!

Benfica Conti
Conti marcou o golo solitário da partida
Os oitavos de final da Taça de Portugal 2018/19 levaram a festa da prova rainha do futebol português à bonita vila de Montalegre. A visita do maior e melhor clube português a Trás-os-Montes trouxe memórias de tempos em que o desporto ao mais alto nível chegava aos locais mais recônditos de Portugal proporcionando verdadeiros confrontos de "Davides" contra "Golias". Felizmente foi possível criar condições para que o jogo se realizasse no Estádio Dr. Diogo Vaz Pereira permitindo aos montalegrenses em geral, e aos montalegrenses Benfiquistas em particular, ver os seus ídolos ao vivo.
Com era de esperar Rui Vitória procedeu a várias alterações no onze inicial para esta partida.  Na metade mais defensiva apenas Jardel manteve a titularidade o que significa que Svilar, Corchia, Conti e Yuri Ribeiro tiveram nova oportunidade de somar minutos. Do meio campo para a frente Zivkovic manteve a titularidade e Krovinovic, Gabriel, João Félix e Seferovic voltaram a ser aposta.

Montalegre vs Benfica - Taça de Portugal
Suplentes: Varela, Rúben Dias, Samaris, Gedson (81'), Cervi (72'), Castillo (89') e Ferreyra.

Deixar andar...

Muito respeito pelos jogadores do Montalegre que encararam o jogo com o profissionalismo que lhes competia e jogaram o jogo pelo jogo frente ao Benfica. Controlaram as zonas próximas da sua grande área, procuraram sair a jogar sempre que a situação o permitia e criaram perigo real em algumas das bolas paradas de que dispuseram. O Benfica pelo seu lado zzzzz zzzzzz zzzzzzz!
Visita do Benfica a Montalegre
Auto Trindade em grande estilo na receção ao Benfica
A diferença no resultado ao intervalo esteve apenas na eficácia nas bolas paradas com o Benfica a fazer golo na sequência de um canto, algo inédito esta temporada, e o Montalegre a ficar perto do golo em duas dessas situações. As várias alterações efetuadas não justificam prestação tão pobre nos primeiros 45 minutos como aquela que o Benfica apresentou. Regresso aos balneários na frente do marcador mas com alguma injustiça à mistura.

Um ou dois arrufos e... deixar andar

A segunda parte começa de forma auspiciosa com uma incursão de Corchia por terrenos interiores que terminou com um remate ao poste. Pura ilusão já que o jogo rapidamente entrou no ritmo pastoso da primeira parte com o Benfica a não conseguir ser dominador e o Montalegre a procurar a sua sorte.
Apesar do cenário a diferença de qualidade entre os jogadores permitiu ao Benfica dispor de boas oportunidades para dilatar o marcador. A maior delas pertenceu a João Félix que já dentro da pequena área não conseguiu desfeitear o guarda-redes contrário. Conti voltou a estar perto do golo em mais uma bola parada e Krovinovic tem uma boa incursão, mas viu o guarda-redes defender o seu remate. O Montalegre rondou mais vezes a grande área do Benfica do que o desejado, mas nunca criou demasiado perigo para a baliza benfiquista.
Benfica Zivkovic
Finalmente um golo de canto (uma delícia as barreiras)
Salva-se a continuidade na Taça de Portugal, num jogo muito pobre em que as segundas linhas não aproveitaram a oportunidade para marcarem pontos. No próximo fim-de-semana haverá a receção ao Braga num jogo que pode permitir ao Benfica escalar lugares na classificação. Venha daí essa vitória.


Momento | Positivo | Negativo


O momento em que o Benfica nos escolhe
Chegada do autocarro: A chegada do vermelhão ao estádio foi o momento da noite com a festa dos muitos Benfiquistas presentes em Montalegre. 
Prémio Pablo Aimar
Festa: Excelente a festa vivida na Vila de Montalegre, terra de boa gente. Antes, durante e depois do jogo o ambiente foi sempre festivo e vivido de forma calorosa por parte dos Montalegrenses, dos Benfiquistas e dos Montalegrenses Benfiquistas.
Prémio Bruno Cortez
Benfica: Há que ser Benfica em todas as horas e em todos os locais. Nunca se esqueçam disso, porque eles/nós, os Benfiquistas, estamos em toda a parte a todo o momento.


Aqui que ninguém nos ouve:
  • Esta pobre exibição, mais uma, veio pôr ainda mais a nu o fracasso quase absoluto nas contratações para esta temporada. É rezar para que as lesões não comecem a aparecer a ritmo elevado, ou então que apareça um treinador capaz de retirar mais rendimento de cada jogador.
  • Finalmente um golo na sequência de um canto. Viste Rui Vitória? Viste Pizzi?
  • Parece que o Castillo já não tem rastilho. Como é que conseguiu ouvir instruções do treinador para entrar em jogo, ao minuto 89, num jogo contra o Montalegre, sem explodir?!
  • Até gosto da postura do Yuri Ribeiro. Até parece que fez uma época muito boa no Rio Ave. Mas coiso... Quando um profissional de futebol é incapaz de dar um toque na bola com o pé direito...

Abraço

Espreite também: