quarta-feira, 12 de setembro de 2018


Voleibol: O fim de uma era

A selfie do Voleibol no Estádio da Luz
A selfie no Estádio da Luz
O regresso do Voleibol do Benfica para a temporada 2018/19 fica indelevelmente marcado pela saída do Professor José Jardim após décadas ao serviço do Glorioso. Apesar de abandonar a liderança dos seniores do clube, José Jardim continua ao serviço do Benfica assumindo as funções de diretor desportivo com responsabilidades em todos os escalões da modalidade. O novo treinador é Marcel Matz, um jovem treinador brasileiro que se espera recoloque a equipa na senda dos títulos.
No que diz respeito à constituição do plantel destaca-se o regresso de Raphael Oliveira que tão bem representou o clube há duas épocas atrás, assim como a contratação de Nuno Pinheiro, um sonho antigo do clube que regressa a Portugal após várias épocas no estrangeiro. Da Argentina chega o oposto brasileiro Theo Lopes ao qual se juntam o central austríaco Peter Wohlfahrtstatter vindo de França e o jovem Bernardo Martins proveniente do Caldas. Os reforços de plantel completam-se com os jovens da formação: Manuel Rodrigues, Miguel Sinfrónio e João Simões.
A continuidade de André Lopes, Ivo Casas, Hugo Gaspar, Marc Honoré, Filip Cveticanin, Frederic Winters, Zelão e Tiago Violas, é o garante da estabilidade e da boa integração dos novos reforços no grupo de trabalho. Estão assim reunidas todas as condições para uma grande temporada em que se espera, acima de tudo, a reconquista do Campeonato Nacional.

Grupo de trabalho

Equipa técnica: Marcel Matz e Rodrigo Barroso.
Central: Filip Cveticanin, Mark Honoré, Miguel Sinfrónio, Peter Wohlfahrstatter e Zelão.
Distribuidor: Manuel Rodrigues, Nuno Pinheiro e Tiago Violas.
Líbero: Ivo Casas e João Simões.
Oposto: Hugo Gaspar e Theo Lopes.
Zona 4: André Lopes, Bernardo Martins, Frederic Winters e Raphael Oliveira.


Benfica Voleibol Plantel

Os protagonistas

Marcel Matz: "O balanço é muito positivo. A proposta do início da temporada é de trabalho duro e eu tenho de enaltecer o empenho de todos os jogadores, a resposta que estão a dar é muito positiva e tenho a certeza de que vai ser essa a postura durante toda a época. Vamos colher bastantes frutos. O plantel é muito completo e dá as condições necessárias para se trabalhar em qualquer situação. A supertaça é a nossa primeira competição oficial e o nosso primeiro grande objetivo. Temos as nossas metas bem traçadas e já estamos a trabalhar forte para jogarmos e tentarmos conquistar o primeiro título da temporada"
Hugo Gaspar: "Temos algumas caras novas. Os juniores, muito deles, já treinaram connosco na época passada e estão completamente integrados. Estão a ser muito bem recebidos neste grupo, está a correr bem e esperamos que continue a ser assim, porque esse também tem de ser o futuro do Benfica, apostar mais na formação e espero que enquanto eu cá estiver novos jogadores juniores apareçam. As caras novas estarão deslumbradas porque realmente temos excelentes condições e somos um clube gigante. Estão no melhor que há no mundo. Foram duas semanas e meia de muito trabalho, de superação muitas das vezes, de modo a conseguirmos atingir os nossos objetivos, que são ganhar todas as competições em que participamos."
Domingos Almeida Lima: "O objetivo é a Reconquista. Temos de ganhar e reconquistar a nossa posição no desporto nacional, quer no futebol quer nas modalidades. O objetivo principal é ganhar, ganhar e voltar a ganhar. Cada jogo será uma batalha para ganhar e é esse o objetivo de quem enverga a camisola do Benfica. Desejo que o grupo de trabalho tenha as melhores condições físicas e técnicas para poder desenvolver todo o trabalho, esperando que alguma sorte nos acompanhe no que diz respeito a evitarmos lesões ou outro tipo de contrariedades. Tenho uma grande esperança na nova organização do voleibol do Benfica, quer da primeira equipa, quer ao nível da formação. Saudar também a presença do professor José Jardim noutras funções"

Benfica Voleibol José Jardim
Professor José Jardim deixa o banco, mas continua no Benfica

Aqui que ninguém nos ouve:
  • Nunca é de mais destacar os mais de trinta anos de José Jardim ao serviço do Benfica como jogador e como treinador, assumindo vital importância na continuidade da modalidade no clube até aos dias de hoje e na conquista de um palmarés invejável.
  • A aposta no novo treinador parece carregar algum risco, mas a história dos clubes também se faz destes golpes de asa de certa forma inesperados. Que tenha muita sorte e nos traga muitas conquistas.
  • Por falar em conquistas, venha daí essa Supertaça! Já que este ano temos tão poucas para disputar, há que não desperdiçar nenhuma.
Veja também:

Abraço

Sem comentários:

Espreite também: