sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Da "tweetoesfera" Gloriosa!!! - IV

A actualidade do Benfica vista pelo olhar sempre acutilante da Tweetoesfera Gloriosa. Crédito total aos gajos cheios de piada que chafurdam nesse vendaval de emoções.

O dobro. Muito bem menino Bruninho!
O dobro. Muito bem menino Bruninho!

Nelson Oliveira, pois então
Nelson Oliveira, pois então!

Isto é Jonas Pistolas
Isto é Jonas Pistolas!

Feito de Sporting
Feito de Sporting

A disquete do JJ
A disquete do JJ

Lindo! À Benfica!
Lindo! À Benfica!

Vencedor é "aquele que sempre desiste de lutar". À Sporting!
Vencedor é "aquele que sempre desiste de lutar". À Sporting!

Uma mão lava a outra
Uma mão lava a outra

A outra disquete do JJ. Com carimbo Seferovic
A outra disquete do JJ. Com carimbo Seferovic

Por falar em Seferovic...
Por falar em Seferovic...

Na Argélia os sportinguista têm o olho mais aberto
Na Argélia os sportinguista têm o olho mais aberto

Pois...
Pois...

Com muita Paixão
Com muita Paixão

O Fontelas a "dar-lo todo"
O Fontelas a "dar-lo todo"

Em qualquer canto do mundo, um Benfiquista!
Em qualquer canto do mundo, um Benfiquista!

Demora muito?
Demora muito?

Nunca serás esquecido, Miklos Feher!
Nunca serás esquecido, Miklos Feher!

Tá pago, General Nhaga, tá pago...
Tá pago, General Nhaga, tá pago...

Coincidência, pois então!
Coincidência, pois então!

Saudade!
Saudade!

 

Caso tenham algum "tweet" aqui publicado que pretendam que seja retirado da publicação, manifestem-o nos comentários.

Abraço

 

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Vídeo-árbitro - Socorro!!!

Tirem-me deste filme

Veja o que eles vêem
Veja o que eles vêem
A FPF decidiu que Portugal com a Liga NOS, seria um dos seis países a servir de cobaia daquela que se antevê com uma das maiores alterações no mundo do futebol.
Após a final da Taça de Portugal, da Supertaça e as duas primeiras jornadas da liga, já é possível fazer um primeiro balanço do sistema. Vantagens e desvantagens, reacções dos protagonistas e momentos mais polémicos até à data, serão avaliados nesta publicação.
Segundo FPF “O sistema do vídeo-árbitro está a ser introduzido no futebol para apoiar as decisões do árbitro principal. Este sistema tem a função de ajudar a corrigir decisões claramente erradas em momentos-chave do jogo, bem como em situações graves que tenham passado despercebidas à equipa de arbitragem.” com o objectivo de obter o “máximo de benefício” com a “mínima interferência".
O sistema apenas se aplica nas seguintes situações:
Golos: Quando há uma falta ou fora de jogo num lance de golo.
Penáltis: Numa decisão errada na atribuição ou não atribuição de um penaltie.
Cartões Vermelhos: Sempre que o árbitro não utilize o cartão vermelho na ocasião devida.
Identidades Trocadas: Quando o árbitro sanciona o jogador errado.

Vantagens/desvantagens

A vantagem mais óbvia é a possibilidade de rectificar erros grosseiros da equipa de arbitragem, por avaliação incorrecta ou por alguma situação que lhe passe despercebida. A desvantagem principal está relacionada com os momentos de espera e consequente perda de ritmo do jogo. Aquele tempo de espera, além da quebra de ritmo, provoca também uma situação de expectativa que retrai as reacções do adepto, algo contra-natura num desporto que se quer de emoções genuínas.
Outra desvantagem, pelo menos no caso do futebol português, é a ausência de árbitros de qualidade para exercer a função. Mesmo para as equipas de arbitragem tradicionais já existe carência de qualidade. Já agora, como é avaliado o vídeo-árbitro? Quem o observa?

Reacções dos protagonistas

Lance discutido durante vários dias
Lance discutido durante vários dias
Conhecendo o meio não era muito difícil de adivinhar o que estava para vir. Na altura do anúncio foi um louvar do sistema, agora é que iria haver verdade desportiva. Vieram os jogos vídeo-arbitrados e os vencedores continuaram a ser os mesmos, ou seja, o Benfica.
Lá vieram os protagonistas bater no VAR, por isto e por aquilo, até um possível fora-de-jogo de centímetros foi escalpelizado horas e horas em horário nobre. Entretanto a situação acalma com um penaltie que o VAR carimba em Alvalade e outro que o VAR não viu em Chaves. Esta montanha russa é ridícula mas só surpreende quem anda muito distraído.

Balanço até à data

Muito bom começo do VAR no Jamor com dois possíveis penalties a favor do Benfica a não serem sancionados. De lamentar apenas mais uma taça para o Museu Cosme Damião.
Na Supertaça já deixou muito a desejar pois aqui o lance, idêntico aos dois do Jamor, foi na área do Benfica. Já deu para umas boas horas de má língua nas TV’s.
No Benfica-Braga temos um penaltie por assinalar sobre o Jardel e o já citado caso de fora-de-jogo. O primeiro desapareceu da ordem do dia, o segundo marcou a agenda por muitos dias.
Em Chaves ficou pelo menos mais uma grande penalidade por marcar a favor do Benfica por rasteira a Jonas, sendo que há outro lance sobre Jonas em tudo idêntico ao que deu penaltie em Alvalade. Reações? No passa nada!
Temos portanto que em quatro jogos do Benfica sob o controlo do VAR, cinco possíveis penalties ficaram por marcar.
É caso para dizer, contra o VAR, marchar, marchar!

#naomefodas mode on
Os árbitros com qualidade são poucos, mas não me venham com a história de porem a mrd dos ex-árbitros a exercerem a função.
Fdx esta mrd de não conseguir festejar os golos na hora, mata-me
#naomefodas mode off
 Abraço

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Chaves vs Benfica - Justiça ao cair do pano

Seferovic dá verdade ao resultado

Seferovic, golo de antologia
Seferovic, golo de antologia
Romaria vermelha até Trás-os-Montes para assistir ao encontro frente ao Desportivo de Chaves. Lotação esgotada e muita espectativa para ver como se comportava o Benfica na sua primeira deslocação da Liga NOS 2017/18.
Fique aqui a par das incidências do encontro, do desempenho dos atletas. Análise ao desenrolar do jogo, aos altos e baixos de partida e também aos destaques individuais.
Rui Vitória apostou no mesmo onze que iniciou a liga frente ao Sporting de Braga, até porque continua a não contar com o castigado Samaris e vários outros lesionados.
Onze inicial: Bruno Varela, André Almeida, Luisão, Jardel, Eliseu, Fejsa, Pizzi, Salvio, Cervi, Jonas e Seferovic.
Suplentes: Paulo Lopes, Lisandro, Filipe Augusto, João Carvalho, Diogo Gonçalves, Rafa e Raúl.

Desperdício sem jogar bem

O início da primeira parte até foi prometedor com um bom ritmo de jogo e bom ambiente nas bancadas, mas não se assistiu a um jogo dominador por parte do Benfica, como se esperava. Mesmo sem se assistir a um domínio claro as oportunidades foram-se sucedendo quase sempre através de Salvio. Primeiro um remate de pé esquerdo, depois um bom remate defendido pelo guarda-redes, a seguir divide a bola com o mesmo guarda-redes, mas o defesa do Chaves corta em cima da linha, depois tem um chapéu onde deve fazer muito melhor e termina com mais um remate quando devia assistir um colega.
Salvio, irreverência e desperdício
Salvio, irreverência e desperdício
O Chaves apareceu mais afoito no último quarto de hora embora sem causar grandes problemas. Os alas do Chaves superiorizaram-se quase sempre aos laterais do Benfica criando intranquilidade ao sector mais recuado. Irreconhecível Eliseu neste capítulo, melhorou na segunda parte, ele que faz da regularidade a sua imagem de marca.
Nos últimos minutos aparece Jardel num bom cabeceamento e Seferovic com duas boas oportunidades. Na primeira permite a intersecção do defesa e na segunda precipitou-se já que tinha companheiros melhor colocados.
Uma primeira parte onde Pizzi jogou sempre muito recuado, quase sempre ao lado de Fejsa, e onde praticamente não ganhamos uma bola fruto de pressão alta ou uma segunda bola.

Justiça ao cair do pano

Início de segunda parte frenético com remate perigoso de Jonas, grande defesa de Bruno Varela a negar o golo ao Chaves e no mesmo minuto remate de Jonas ao poste. O Benfica manteve a pressão e beneficiou de uma série de cantos consecutivos, mas estes lances continuam a ser inofensivos no Benfica.
Continuou a pressão encarnada com boas oportunidades por Cervi, boas cabeçadas de Jardel, Seferovic e Luisão, mas o golo continuava sem aparecer. De seguida o Benfica quase chega ao golo por intermédio de um defesa do Chaves que interceptou para a sua própia baliza um cruzamento de Salvio.
No último quarto de hora o Chaves refresca o meio campo e o Benfica deixa de chegar com perigo à baliza adversária. Aparece o antijogo e o nervosismo com o aproximar do final da partida, com a equipa a apresentar alguma descrença.

Explosão de alegria

Já nos descontos chega o merecido golo, e que golo. Seferovic com um toque habilidoso faz a bola passar por entre as pernas do guarda-redes e provoca a grande explosão nas bancadas. Justo, pelo volume de jogo, pelas oportunidades e pelos adeptos que tudo merecem.

#naomefodas mode on
Fdx Seferovic, como é que consegues curar as lesões daqueles crls todos só com um toque na bola. E sem vaselina!
Ó Rui, vê lá se atinas, isto de tirar o Cervi só pra gozares com os dragartos podia ter dado mau resultado. Deixa-te de mrds.
#naomefodas mode off
Venha o próximo e viva o Benfica!!!

Destaques do Baralho

REI: Seferovic – Um toque de classe para curar o reumatismo dos flavienses.
ÁS: Salvio – Dado o volume de oportunidades à qual esteve ligado, merece este destaque. Demonstra uma disponibilidade e irreverência a fazer lembrar o “velho Salvio”. Pena o desperdício.
SENA: Paragem pró refrescoUm jogo que começa às 21:00h tem que ser parado para tomar um refresquinho!? Não brinquem com o futebol.
DUQUE: Vídeo-árbitro – Estava a jogar Tétris?

domingo, 13 de agosto de 2017

Futsal: impõe-se um regresso aos títulos

Dois anos sem ganhar são uma eternidade

Futsal Benfica foto no Estádio da Luz
A tradicional selfie no Estádio da Luz
O Futsal do Benfica sofreu uma verdadeira revolução para esta nova temporada. Foram vários os jogadores a abandonar o clube, seja por dispensa, por final de contrato ou por vontade do jogador, como foi caso de Elisandro. Registe-se ainda o caso de Gonçalo Alves que passou para os gabinetes.
Além dos atrás citados saíram ainda: Bebé, Cristian, Fernando Wilhelm, Jefferson, Ré, Alessandro Patias, Mário Freitas, Franklin e Tiago Fernandes.
A aposta para a nova época foi forte com a contratação dos internacionais portugueses André Coelho e Tiago Brito e de quatro jogadores de verdadeira craveira internacional: Diego Roncaglio, Robinho, Deives Moraes e Raúl Campos. Da época passada transitam Cristiano, Fábio Cecílio, Chaguinha, Bruno Coelho, Rafael Henmi e Miguel Ângelo. Das camadas jovens foram promovidos André Correia, Afonso Jesus e Jacaré. A registar ainda o regresso de Bruno Pinto.
Bruno Coelho tem a difícil tarefa de substituir Gonçalo Alves ao herdar a braçadeira de capitão. Que seja um longo "reinado". 

Só há uma alternativa: Vencer!!!

À frente deste luxuoso plantel mantém-se Joel Rocha, coadjuvado por Mário Silva e Dymayer da Silva.
Plantel do Futsal do Benfica
Plantel do Futsal do Benfica
Joel tem pela frente o desafio de se reinventar e dar um novo fôlego a uma modalidade habituada a ganhar, sendo a única equipa portuguesa com UEFA Futsal Cup no palmarés. Após uma estreia de sonho em 2014/15, seguiram-se duas épocas menos positivas que importa deixar definitivamente para trás.
O facto do Benfica não participar na UEFA Futsal Cup desta época, algo que se lamenta, deve servir para reforçar o foco nas competições nacionais, sendo imperioso a conquista do campeonato nacional.
#naomefodas mode on
Fdx Joel, não podemos viver à sombra de êxitos passados há que estar sempre nos limites, crl.
Esse balneário tem que estar na tua mão. Pisou o risco, fd-se, não dês abébias.
#naomefodas mode off
Em jeito de conclusão, consideramos que o treinador tem à sua disposição um excelente plantel com alguns dos melhores jogadores nacionais; um conjunto de estrangeiros de valor acima da média; e jovens promessas que podem ser boas surpresas, como Afonso Jesus ou Jacaré.

Declaraçoes:

Robinho: “Para mim tem sido uma experiência muito agradável estar dentro do Clube. A convivência é muito boa. Desde que sou jogador de futsal, o Benfica tem sido um dos clubes com maior estrutura que tenho visto. Tem sido bastante agradável estar aqui, o ambiente é super agradável. Tem sido de maneira totalmente adequada, bem melhor do que eu imaginava”
Reforços para a temporada 2017/18
Reforços para a temporada 2017/18
Raul Campos: “As primeiras impressões são muito boas. Cheguei a um dos maiores clubes do Mundo e estar aqui, pode vestir esta camisola, desfrutar destas instalações e desta massa adepta, é um luxo, um orgulho”
Diego Roncaglio: “O estágio está a correr dentro do esperado, tudo muito bem planeado pela secção do Benfica e pela equipa técnica. Os jogadores estão-se a esforçar ao máximo nesta pré-época para chegar nas competições e dar o seu melhor.”
Bruno Pinto: “Estou muito feliz de estar aqui novamente, a dar o meu melhor, em conjunto com a equipa. Amadureci muito, tive minutos de jogo, fiz as coisas que me pediram, essencialmente e globalmente tive a um nível positivo e se calhar foram esses os motivos do meu regresso”

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Da "tweetoesfera" Gloriosa!!! - III

Queres saber o que se vai passando pela Tweetoesfera Benfiquista sob o olhar do video-árbitro? É grátis, desfruta. Crédito total aos gajos cheios de piada que chafurdam nesse vendaval de emoções.


A linha do Tetra
A linha do Tetra

Pietra e Luisão, muito Benfica
Pietra e Luisão, muito Benfica

Gasolina para o Penta do Benfica
Gasolina para o Penta do Benfica

Benfica envia emails ao Nhaga
Benfica envia emails ao Nhaga

Imbestigue-se
Imbestigue-se

Video-árbitro distraído
Video-árbitro distraído

A supertaça é do Benfica
A supertaça é do Benfica

Jogos sem fronteiras à moda do Oporto
Jogos sem fronteiras à moda do Oporto

As cambalhotas do VAR
As cambalhotas do VAR

O líder diz que tá fechado
O líder diz que tá fechado

Mais cambalhotas do video-árbitro
Mais cambalhotas do video-árbitro

Uns reforços cá para trás não caiam nada mal
Uns reforços cá para trás não caiam nada mal

Marco Ferreira, o mago do apito
Marco Ferreira, o mago do apito
No Benfica só dá Benfica
No Benfica só dá Benfica

Balneário que dá títulos
Balneário que dá títulos

A santa aliança bem sincronizada
A santa aliança bem sincronizada

Está claramente em jogo
Está claramente em jogo


Da série: seis pontos garantidos
Da série: seis pontos garantidos

No princípio eram os mails...
No princípio eram os mails...

General Nhaga é sinónimo de grande grupo
General Nhaga é sinónimo de grande grupo

Caso tenham algum "tweet" aqui publicado que pretendam que seja retirado da publicação, manifestem-o nos comentários.

Abraço

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Benfica vs Braga - Boas perspectivas

Um regresso em grande à Liga NOS

Seferovic, período de adaptação é para os fracos

Estádio da Luz com uma excelente casa para a estreia do Benfica na Liga NOS, em jogo transmitido pela Benfica TV. com adversário um Sporting de Braga que nos últimos anos tem procurado encostar aos chamados grandes.

Nesta crónica encontrará a análise ao encontro, os destaques positivos e negativos, e os sinais deixados para o futuro dos encarnados na competição.

Onze inicial: Bruno Varela, André Almeida, Luisão, Jardel, Eliseu, Fejsa, Pizzi, Salvio (Filipe Augusto 75’), Cervi (Diogo Gonçalves 90’), Jonas (Raul 82’) e Seferovic.
Banco: Paulo Lopes, Lisandro, Filipe Augusto, Chrien, Diogo Gonçalves, Rafa e Raúl.
Não podendo contar, por motivos físicos com Júlio César, Grimaldo, Carrillo, Zivkovic, André Horta e Mitroglou, mais o castigado Samaris; Rui vitória apostou na equipa que conquistou a supertaça, com excepção do lesionado Grimaldo, substituído por Eliseu. Destaque para a estreia de Bruno Varela e Seferovic na Catedral.

Superioridade não traduzida no marcador

Excelente primeira parte tendo em conta que se tratava da estreia na liga. Após um primeiros minutos mais calculistas, um cabeceamento de Seferovic após bom cruzamento de André Almeida, perto dos dez minutos de jogo deu o mote para o que se seguiria. Jonas aparece pela primeira vez no jogo para efectuar um passe açucarado que Seferovic transformou no primeiro golo da partida. O Braga, que não se remeteu à defensiva, teve uma boa oportunidade de chegar ao empate mas Eliseu apareceu para cortar para canto. Após este lance só deu Benfica, remate forte de Seferovic com o pé esquerdo, cabeçada de Jonas a tirar tinta do poste e remate acrobático de Salvio.
Luisão presta homenagem ao génio de Jonas
À meia hora de jogo, grande golo de Jonas a levantar o estádio, parecia abrir caminho à tranquilidade, até porque é seguido de mais um forte remate de Seferovic. Tal não aconteceu porque à imagem do que tinha acontecido na Supertaça o Benfica sofre o 2-1 mesmo antes do intervalo. Mal Jardel, muito longe de Eliseu, a permitir que a bola entrasse nas suas costas. Nota-se que ainda não atingiu a velocidade cruzeiro, acusando de certa forma a pouca utilização na última época.

Algum nervosismo que importa controlar

A segunda parte começou com muitas quezílias e nervosismo, sendo que o Benfica com a experiência que tem, e sabendo que os adversários recorrem vezes sem conta a estas estratégias, tem que apresentar maior controlo emocional.
Embora sempre intenso, o jogo baixou de qualidade. A registar nos primeiros minutos um golo bem anulado ao Braga por fora de jogo, com o recurso ao video-árbitro a confirmar a decisão do árbitro auxiliar. Reagiu bem a equipa da casa e chegou ao golo por Salvio após excelente trabalho de Cervi na esquerda.
Rui Vitória faz entrar Filipe Augusto para o lugar de Salvio, substituição que me parece que vamos ver muito ao longo da época. Ganhou mais consistência o Benfica e tomou definitivamente conta do jogo. Registo para bons remates de Seferovic, Jonas e Pizzi.
Deu ainda tempo para estrear Diogo Gonçalves em jogos oficiais pelo Benfica. Que seja o primeiro de muitos.
Num jogo que valeu o bilhete, boa vitória, contra um adversário com qualidade e que nunca estacionou o autocarro, numa atitude que se saúda.
#naomefodas mode on
Fdx, muito gatas as cheerleaders do Benfica!
#naomefodas mode off
 Venha o próximo e viva o Benfica!!!

Destaques do Baralho

REI: Seferovic – Sempre com olhos na baliza, quer de cabeça, quer de pé direito ou de pé esquerdo. Aliado a isso demonstrou uma capacidade de reter a bola e jogar com equipa muito boa.
ÁS: Jonas – Primeiro toque na bola, assistência. Segundo toque, cabeceamento rente ao poste, Terceiro toque na bola, golaço. Etc, etc.
SENA: ArbitragemComo é que se mostra amarelo a Jonas num bater com a bola no chão sem o árbitro ver e não se mostra a Raul por uma cotovelada ao mesmo Jonas à vista de toda a gente.
DUQUE: Horário do jogo – Quarta-feira, 21:00h! Vou ali e já venho.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Formação: Gonçalo “Guga” Rodrigues

Transformar as dificuldades na escada para o sucesso

Gonçalo "Guga" Rodrigues, jovem promessa do Benfica
Gonçalo "Guga" Rodrigues, jovem promessa do Benfica

Setembro de 2016
Acção:Gonçalo Rodrigues, jogador do Benfica B, sofreu uma lesão grave e vai ficar afastado da competição durante seis meses, sensivelmente.
Reacção:A todas as pessoas que mandaram mensagem de preocupação e de apoio, um muito obrigado e voltarei muito mais forte.

Abril de 2017
Acção: O azar não larga Guga. O médio do Benfica B sofreu uma lesão grave no clássico com o FC Porto B, do passado domingo. No jogo que marcava o seu regresso à competição...após uma paragem de sete meses.
Reacção:Novo obstáculo? Novo desafio! Obrigado a todos pelo apoio!
Julho de 2017
Guga: My day is coming 💪🏼

É desta massa que se fazem os campeões, reagir às adversidades colocando o foco no objectivo traçado. Não tenho dúvidas que da parte do Gonçalo Rodrigues tudo será feito para chegar a envergar o Manto Sagrado na Catedral, assim as leis da física o permitam. Sofrer uma lesão grave, trabalhar durante meses para o regresso e sofrer nova lesão, ou recidiva da anterior, logo no primeiro jogo, é para rebentar com a moral de qualquer um. Não foi assim com Guga, e ainda bem.
Faz parte da geração dourada de 97 onde pontificam jogadores como Renato Sanches, João Carvalho, Diogo Gonçalves, Pedro Rodrigues, Rúben Dias, etc, que integrou na época 2008/09. Apesar de rodeado de tanta qualidade sempre foi capaz de conquistar o seu espaço no grupo dos habituais titulares.
A sua estrutura franzina foi porventura o maior aliado no seu desenvolvimento, obrigando-o a ser mais rápido a decidir e executar, a ser mais inteligente na leitura do jogo ou a antecipar cenários durante as partidas. Todas estas características são importantíssimas num médio que pretenda ter sucesso no futebol atual.
Guga é um médio box to box com capacidades defensivas e ofensivas. Forte na ocupação de espaços e na pressão constante ao adversário, tem boa saída de bola, sendo forte nas coberturas tanto defensivas como ofensivas. A meia distância e os lances de bola parada têm sido também marcas da sua ainda curta carreira.
Esperemos pacientemente pela recuperação total, sem precipitações, de forma a que no momento certo apareça na equipa B. Jogando com regularidade na B será então altura para se aquilatar se é jogador para patamar de equipa A

#naomefodas mode on
Pqp a sorte! Ou será que o crl da estrutura se precipitou no regresso do miúdo?
#naomefodas mode off

A sorte tem sido madrasta, mas “não há mal que perdure nem bem que sempre dure”.
Por isso acredita Guga, o futuro será teu.

Abraço 

Também pode ler: