sábado, 14 de outubro de 2017


Olhanense vs Benfica - Doloroso

Futebol Benfica Gabriel Barbosa
Gabriel Barbosa estreou-se a marcar pelo Benfica
Foi no Estádio do Algarve, casa emprestada do Olhanense que o Benfica se estreou na Taça de Portugal da época 2017/18. Os benfiquistas voltaram a marcar presença no apoio à equipa.
Destaque para a estreia absoluta de Svilar e Douglas com a camisola encarnada.
Onze inicial: Svilar, Douglas, Luisão, Rúben Dias, Grimaldo, Fejsa, Pizzi, Krovinovic, Rafa, Gabriel Barbosa e Seferovic.
Suplentes: Varela, André Almeida, Chrien, João Carvalho, Diogo Gonçalves, Cervi e Raúl.

Eliminatória ultrapassada

Por hoje é tudo.
Descansa em Paz, meu querido Pai...

#naomefodas mode on
  • Pqp estas doenças que nos transformam em farrapos em tão pouco tempo ´-(
#naomefodas mode off

Abraço


sexta-feira, 13 de outubro de 2017


Formação @Benfica: João Monteiro

Futebol Benfica João Monteiro
Decisivo na conquista da Syrenka CUP pelos sub-21 portugueses
João Monteiro integra os escalões de formação do Benfica desde a época 2013/14. É na presente época o guarda-redes titular da equipa de juniores “B” que disputa o respetivo campeonato nacional. Foi o guarda-redes titular da equipa que brilhantemente se sagrou campeã nacional de iniciados na época de 2015/16. Apresentou números impressionantes tendo acabado a primeira fase do campeonato sem sofrer qualquer golo. Somando os jogos de todas as fases sofreu apenas quatro golos.
O atleta, de 16 anos e 1,86m de altura, assinou contrato profissional com o Benfica no último mês de maio. Além das qualidades futebolísticas tem-se destacado também em termos escolares, contando já com vários prémios atribuídos pelo clube aos melhores alunos de cada época. Curiosamente na última época foi acompanhado nesse aspeto por Nuno Cunha, com quem partilhou também o momento de assinatura do primeiro contrato profissional.
O jovem guarda-redes conta já com várias internacionalizações somando mais de 1.500 minutos em 19 presenças nas seleções. Destaque para a recente conquista da Syrenka Cup ao serviço dos sub-17. No jogo da final frente à Polónia João Monteiro defendeu “apenas” quatro pontapés da marca de grande penalidade, assegurando a vitória para a equipa das quinas. Foi inclusive eleito o melhor guarda-redes da prova.
Internacionalizações:
Sub 17: 9
Sub 16: 9
Sub 15: 1
Futebol Benfica João Monteiro
João Monteiro no dia da assinatura do contrato profissional

Na senda de Oblak ou Ederson?

Esperemos que se esteja a formar no Seixal mais um guarda-redes da estirpe de Oblak ou Ederson Moraes. João Monteiro apresenta atributos físicos e técnicos que lhe permitem sonhar em chegar a esse patamar. É um guarda redes com uma estampa física assinalável para a idade, tal como assinalável é a tranquilidade e sobriedade que apresenta dentro do campo.
Está a entrar numa fase da carreira onde começará a ser mais posto à prova. Até ao momento têm sido relativamente poucas as dificuldades colocadas pelos adversários. Esta falta de competitividade limita um pouco a evolução dos atletas dos setores mais recuados das equipas de formação do Benfica. O mesmo referi na análise ao central Alexandre Penetra. O certo é que, à imagem de guarda-redes de equipa grande, tem-se mostrado concentrado nas poucas oportunidades que tem de brilhar.
Este segundo ano de juvenil e os anos de júnior “A”, certamente que lhe trarão outro tipo de desafios e estímulos que o ajudarão a evoluir a um ritmo mais elevado. Esperemos que se mantenha sempre focado no trabalho e esteja consciente que as dificuldades se apresentarão em crescendo, pelo que o seu empenho e dedicação terão que ser também eles no mesmo sentido. O seu percurso escolar dá algumas garantias que o atleta saberá enfrentar os desafios que se lhe depararão.
Estamos na presença de um atleta que já muito conquistou e muito promete conquistar no futuro. Acredito muito que atinja o sonhado patamar da equipa principal e faça da Catedral a sua casa por muito anos.
Benfica Mérito Escolar
Prémio de mérito escolar atribuído na cerimónia de fecho de época

#naomefodas mode on
  • Oh Joãozinho, tinhas dado umas dicas ao Oblak e aquela Liga Europa tinha sido nossa.
  • Eu disse “… faça da Catedral a sua casa por muitos anos.”. Ouviste bem? “por MUITOS anos”!
  • E já agora, toca a seguir o #nmf no feicebuki, sff:
#naomefodas mode off

Abraço


quarta-feira, 11 de outubro de 2017


Muito Benfica nas Seleções

Benfica Futebol João Félix
João Félix estreia-se nos Sub-21 com apenas 17 anos

Foram vários os jogadores do Benfica envolvidos nos jogos das seleções nestes últimos dias. Seja nas seleções principais que disputavam os últimos jogos do apuramento para o Mundial da Rússia, seja nas seleções de sub-21 ou sub-20.
Destaque para o golaço de João Carvalho ao serviço dos sub-21. Também nos sub-21 registo para a estreia de João Félix com apenas 17 anos, tornando-se o terceiro jogador mais novo a estrear-se pela seleção. Nos sub-20 destacou-se Mesaque Dju com os dois golos que ajudaram à vitória de Portugal sobre a Itália.

Benfica Futebol João Carvalho
Golaço de João Carvalho não impediu a derrota dos Sub-21

Da equipa principal estiveram ao serviço das diferentes seleções os jogadores:
Eliseu, Raúl, Salvio, Samaris, Seferovic, Rúben Dias, João Carvalho, Diogo Gonçalves e Zivkovic.

Benfica Futebol Mesaque Dju
Mesaque Dju contribuiu com dois golos para a vitória frente à Itállia

Da equipa "B" foram os seguintes os jogadores em ação:
Pedro Amaral, Francisco Ferreira, João Félix, José Gomes, Florentino, João Filipe, Fábio Duarte, Alex Pinto, Gedson Fernandes, Mesaque Dju, Ilija Vukotic e Willock.

Abraço


segunda-feira, 9 de outubro de 2017


A reflexão que se impõe – A Comunicação

Benfica Luís Bernardo
Luís Bernardo Diretor de Comunicação do Benfica
O momento atual do Benfica justifica uma paragem para refletir no que tem sido o caminho percorrido desde a conquista do Tetra Campeonato. No desporto em geral e no futebol em particular é muito ténue a linha que separa o sucesso do fracasso. Pela fragilidade dessa linha e pela existência de todo um conjunto de variáveis mais ou menos incontroláveis, torna-se arriscado, e por muitas vezes injusto, avaliar os resultados apenas como consequência das opções tomadas.
Tal não invalida, bem pelo contrário, que não devamos procurar analisar todas as opções tomadas e as suas consequências no atingir do objetivo proposto. Por isso numa série de artigos vou abordar um conjunto de áreas, tentando perceber as ideias por trás das decisões tomadas e procurando encontrar novos caminhos e soluções:

A Comunicação

Qualquer pessoa, empresa ou instituição que se quer afirmar no respetivo meio precisa de dominar a arte de comunicar. No mundo em que vivemos a comunicação assume um papel cada vez mais relevante. Assume-o porque a globalização trazida pela internet e o desenvolvimento assustador das tecnologias de informação e comunicação, mudaram todo o paradigma da comunicação.
Quebraram-se várias barreiras: tempo, espaço e social. Uma ideia a comunicar pode atingir todo o mundo e todos os estratos sociais numa questão de minutos. Passou também a funcionar nos dois sentidos com as reações a essa mesma ideia difundida a serem também elas imediatas. A massificação da comunicação atingiu um nível tal que quase toda ela é efémera e passageira.
Facebook Twitter Instagram Linkedin
A comunicação passa muito pelas redes sociais
O desenvolvimento dos dispositivos móveis aliado ao chamado boom das redes sociais, projetou  a comunicação para outro patamar. Cada indivíduo é, a cada instante e em qualquer lugar, um consumidor e produtor ou reprodutor de informação.
É a esta nova realidade e aos desafios que a mesma representa que a Comunicação do clube deve dar resposta. Já não basta o envio de uma carta ou SMS ao associado, os comunicados, as conferências de imprensa ou as entrevistas. É necessário saber lidar não só com a imprensa tradicional, mas também com a comunicação na internet e as redes sociais. Não basta divulgar informação para que o interessado a possa obter, é preciso levar essa informação ao público alvo.

O imediatismo da comunicação

Fundamental para uma boa comunicação é a avaliação constante do feedback obtido, assim como a capacidade de dar respostas ou tomar medidas corretivas em tempo útil. Dada a propagação quase imediata da informação, importa reagir de igual forma para minimizar danos e eventualmente reverter uma situação negativa.
O departamento de Comunicação do Benfica é atualmente dirigido por Luís Bernardo, que substituiu no cargo João Gabriel no verão do 2016. João Gabriel estava à frente da comunicação do Benfica desde 2008.
Benfica João Gabriel
João Gabriel esteve oito anos no Benfica
Em termos de comunicação tradicional o Benfica dispõe de um canal de televisão, a BTV, que atualmente é um canal “premium” que contará com cerca de 300.000 subscritores. Quanto à comunicação na internet, o site do Benfica foi sujeito a uma remodelação em julho deste ano. Nessa altura foi lançada também uma APP para dispositivos móveis que permite a interação com os sócios/adeptos. No que diz respeito às redes socias o Benfica marca presença no Facebook (3.600.000), Twitter (1.100.000), Instagram (727.000) e Linkedin (15.000).

O que eu penso?

Esta época é um verdadeiro desafio para a comunicação do Benfica por via de tudo o que foi referido no artigo sobre a Santa Aliança. Perante o ataque cerrado e nunca antes visto por parte dos rivais aliados, qualquer ação, reação ou inação por parte da comunicação do Benfica deve ser muito bem ponderada.
É um ataque sem precedentes que tem passado pela utilização do Porto Canal na divulgação de eventual correspondência privada, com os restantes “amigos” da comunicação social a servir de caixa de ressonância, prolongando o ruído por vários dias. O facto de até um jornal de referência como o Expresso entrar nestes esquemas diz bem da amplitude da rede à qual temos que estar atentos.
Nos programas de debate, para os quais vos posso garantir que não dou um minuto de audiência em direto, limitando-me a ver um ou outro vídeo aqui na blogosfera, o cenário não é melhor. Moderadores que apenas procuram incendiar os ânimos na ansia das audiências. Representantes da santa aliança a trocarem sorrisos e piscadelas de olho, ao mesmo tempo que alternadamente interrompem qualquer tentativa de esclarecimento por parte dos representantes do Benfica. Como bom exemplo do estado a que chegou este tipo de programas temos um debate com Paulo Cristóvão e Fernando Madureira a discutirem os perigos do futebol português. Santa ironia!
É certo que na generalidade a imprensa passa por dificuldades económico-financeiras muito graves, mas não pode valer tudo. As entidades de supervisão, nomeadamente a ERC ou o Sindicato dos Jornalistas têm a obrigação de exercer as funções que lhes estão incumbidas. É inadmissível e vergonhoso o estado persecutório que este tipo de programas atingiu. Se as entidades competentes continuarem a assobiar para o lado deve o governo intervir nesta área. A tragédia está aí à porta.
É no campo da comunicação que assenta a estratégia dos rivais. Não estão interessados em fazer as participações às respetivas entidades competentes. Não lhes interessa que os factos sejam devidamente investigados e julgados por quem de direito. Interessa isso sim, julgar na praça pública numa estratégia de desgaste que os seus peões de brega se encarregam de executar. Dessa forma procuram transformar os seus desejos/delírios em factos.
Benfica Colinho
A campanha do "colinho"
Não é fácil combater o estado atual das coisas. Reproduzo aqui o que escrevi anteriormente e que no meu entendimento deveria se a postura a adotar:
  • Da parte do clube recolocar o foco no trabalho dentro de portas e continuar a ganhar dentro do campo. As nossas vitórias serão o melhor antídoto para todo o veneno destilado pela santa aliança. Percebendo que dentro do Benfica certamente que terão um pensamento semelhante; ainda hoje leio que o presidente declarou: “Só os bons resultados desportivos permitirão consolidar as nossas opções”; torna-se para mim quase incompreensível o desinvestimento desenfreado que se verificou esta época.
  • Da parte dos sócios/adeptos assumir o orgulho no clube, reconhecer o mérito das nossas vitórias; então os últimos dois anos foram mesmo épicos; reconhecer os méritos dum grupo de trabalho que deixou tudo em campo.  Andar de cabeça bem levantada com o orgulho de sermos Tetracampeões mesmo que a época esteja a correr mal; uma coisa não invalida a outra. Não ter pruridos em reclamar das arbitragens, da discriminação na aplicação de castigos ou mesmo do discricionarismo das declarações dos altos dirigentes do nosso futebol. Adeptos à Benfica impõe respeito a qualquer rival.
  • Da parte do grupo de trabalho perceber a importância deste momento. Pode a época não ter sido planeada da melhor forma e o plantel apresentar algumas lacunas, mas mesmo assim existe qualidade para chegar ao sucesso. É recuperar a atitude dos últimos anos e lutar connosco, por nós que bem merecemos, pela reconquista dos títulos que tanto trabalho nos deram na época passada.
No caso mais específico da comunicação penso que a estratégia de falar poucas vezes, mas com assertividade deve ser o caminho a seguir. Não devemos responder à letra, devemos isso sim deixar que os adversários se enredem nas suas próprias palavras, e aí sim, usá-las em proveito próprio. Seja em termos de motivação do nosso grupo de trabalho, seja até em termos comerciais como brilhantemente aconteceu com o chamado “colinho” ou a história dos "emails".
Defendo uma comunicação centrada no Benfica, na sua massa associativa e adepta. Que tenha como objetivo primário a promoção da união entre todas as forças do clube. Que informe com rigor e que coloque o dedo na ferida sempre que tal se justifique. Não quero uma comunicação que assente no lambe botismo ou no culto da personalidade. Quero uma comunicação à Benfica, sobre o Benfica e para os Benfiquistas.
Os sinais que chegam é que o Benfica seguiu por outro caminho e optou pela estratégia de responder à letra à comunicação rival. Não me parece que tenhamos muito a ganhar com isso.

As possíveis motivações para a inversão de estratégia

Quero acreditar que existam dados internos que sustentem esta inversão de estratégia, como estudos de opinião que sustentem um eventual desgaste da imagem do Benfica ou o pressentir que os adeptos estejam a ir na cantiga da santa aliança. Os adeptos do Benfica não são só os que navegam pela internet e que normalmente andam mais informados. Existem outros milhões para quem se calhar será mais efetiva uma estratégia de olho por olho, dente por dente.
Benfica Red Pass
A assertiva campanha do Red Pass
O clube também pode sentir que os agentes desportivos nos estejam a “comer as papas na cabeça” por não nos manifestarmos de forma mais incisiva e frequente.
Não sendo a minha estratégia, procuro entender as motivações de quem dirige a comunicação do Benfica. Que tenham sucesso, porque o sucesso deles será o nosso sucesso.

#naomefodas mode on
  • Fds, a estratégia já tem barbas! Os porcos arrastam-nos para a lama e depois ganham-nos por experiência.
  • Quero que na BTV se fale de BENFICA! Pqp, deixem lá a mrd dos dragartos para os canais deles. Ainda por cima é um canal premium, só nós é que vemos.
  • Custa-me ver gente da comunicação do Benfica em bate-boca com o insolvente nas redes sociais. É dar ao desprezo, crl!
  • De entre tantos milhões não há um crl de um Benfiquista, ou pelo menos alguém sem passado nos rivais, que possa dirigir a comunicação do clube?
#naomefodas mode off

Abraço


sábado, 7 de outubro de 2017


Ao cuidado de Cosme Damião - III

A equipa de Hóquei em Patins do Benfica conquistou a Elite Cup ao vencer o Sporting por 4-1. Jordi Adroher foi a figura da partida ao marcar 3 golos após Carlos Nicolia ter aberto o marcador.
Benfica: Pedro Henriques, Valter Neves, Diogo Rafael, João Rodrigues e Carlos Nicolia.


Parabéns Campeões!!!



A equipa feminina de Hóquei em Patins do Benfica conquistou a 5ª Supertaça consecutiva ao vencer o Stuart Massamá por 4-1.
Benfica: Sandra Coelho, Rute Lopes, Rita Lopes (2), Inês Vieira (1) e Marlene Sousa (1).


Parabéns Campeãs!!!



A equipa feminina de Futsal do Benfica conquistou a 3ª Taça de Honra da AFL ao vencer o Sporting por 2-1 com golos de Sara Ferreira e Janice.
Benfica: Ana Catarina, Inês Fernandes, Cláudia Lobo, Sara Ferreira e Cláudia Pereira.



Parabéns Campeãs!!!



sexta-feira, 6 de outubro de 2017


Ao cuidado de Cosme Damião - II

A equipa feminina de Rugby do Benfica na variante Sevens, conquistou a 9ª Supertaça da história do clube.
Nas meias-finais vitória sobre o Sport Rugby por 22-5. No decisivo jogo da final bateram o rival Sporting por 12-10.




Parabéns Campeãs!!!



quinta-feira, 5 de outubro de 2017


Ao cuidado de Cosme Damião - I

A equipa de Basquetebol orientada por José Ricardo venceu a 14ª Supertaça da história do Benfica.
Alinharam e marcaram: João Soares (21), Antywane Robinson (9), Raven Barber (12), Carlos Morais (19), Cláudio Fonseca (2), Jesse Sanders (4), Nuno Oliveira (14), Carlos Andrade (13), Tomás Barroso (5), Aljaz Slutej (4) e Nicolas dos Santos (1).

Carlos Morais foi eleito o MVP da partida.




Parabéns Campeões!!!



terça-feira, 3 de outubro de 2017


Formação @Benfica: Gedson Fernandes

Benfica Formação Gedson Fernandes
Gedson Fernandes en ação na UEFA Youth League

Todo o terreno

Gedson Fernandes está no Benfica desde a temporada 2009/10, momento em que com apenas 9 anos trocou o Frielas pela equipa de juniores "E" benfiquista. Está, portanto, na sua nona época com a camisola encarnada vestida. Atualmente representa a equipa B treinada por Hélder Cristóvão, apesar de ainda ter idade para jogar pela equipa de juniores "A".
Em janeiro de 2017 renovou o contrato com o Benfica prolongando-o até junho de 2022 num claro sinal de confiança do clube no seu potencial e capacidade de vir a integrar a equipa principal.
No seu currículo já apresenta os títulos de campeão nacional de juniores "C" na época 2013/14 e de juniores "B" na época de 2014/15. No entanto o título mais significativo é o de Campeão da Europa de sub-17 conquistado em 2016. Venceu também em representação da seleção nacional o “FA Internacional Tournament” de 2015.
O jogador nascido em São Tomé e Príncipe tem dupla nacionalidade tendo-se estreado pela seleção portuguesa em junho de 2014. Entretanto já representou as seleções portuguesas em 52 ocasiões somando já mais de três mil minutos de jogo e quatro golos marcados.
Benfica Formação Gedson Fernandes
Gedson ao serviço da equipa das quinas
Internacionalizações:
Sub 20: 5            
Sub 19: 12
Sub 17: 30
Sub 16: 3
Sub 15: 2

Às portas da equipa principal

Gedson é um jogador polivalente muito por via do seu percurso formativo. Começou por jogar nas alas onde demonstrava capacidades de desequilíbrio no um para um e critério no último passe. Mais tarde passou a jogar como médio interior e algumas vezes até como médio defensivo. Nessa altura demonstrava as capacidades de um verdadeiro box to box que preenchia todo o meio campo.
Fruto da política desportiva dos últimos anos que procura a adaptação de jogadores mais criativos para jogar nas laterais da defesa, Gedson passou quase uma época inteira a jogar a lateral direito. Finalmente fixou-se na posição de médio interior, o que me parece ser uma opção acertada tendo em conta as suas características.
O facto de ter passado por todas estas posições deu-lhe valências que hoje em dia são fundamentais na posição que ocupa: capacidade de interpretar os vários momentos do jogo; capacidade de criar equilíbrios defensivos e desequilíbrios no momento ofensivo; capacidade de contenção e desarme e criatividade no um para um ofensivo.
É um jogador dotado de boa capacidade técnica, que sabe usar o corpo como poucos na proteção da bola. Muito lúcido na interpretação do que o jogo pede, sabendo quando acelerar ou meter gelo no mesmo. Apesar de ser forte fisicamente, precisará ainda de ganhar algum poder de choque para frequentar a piscina dos grandes. Acredito que a soma de minutos na equipa B o projetem para a equipa principal ainda esta época.
Benfica Formação Campeões Europeus
A homenagem do Benfica aos Campeões Europeus

#naomefodas mode on
  • Contrato até 2022… Hummm! Se ficar até 2020 vou ao Seixal a pé, crl!
  • Aquele fdp de golo ao Besiktas ainda antes da linha do meio campo é inesquecível. Pena que do outro lado não estivesse o TalisCão e o Coresma!
  • Ouvi umas histórias de uns certos festejos… nmf Gedson, tem calma contigo.
#naomefodas mode off

Abraço



segunda-feira, 2 de outubro de 2017


Marítimo vs Benfica - Prometer e não cumprir!

Benfica Futebol Rui Vitória
Terá Rui Vitória o grupo do lado dele?
Deslocação sempre difícil do Benfica ao Caldeirão dos Barreiros para defrontar o Marítimo na oitava jornada da Liga NOS 2017/18, desta vez com o aliciante, pelo menos para os maritimistas, de estar em jogo o terceiro lugar da tabela. Os madeirenses mais uma vez mostraram-se à altura dos acontecimentos colorindo as bancadas em tom encarnado.
Talvez como manifestação de um voto de confiança, Rui Vitória apostou praticamente na mesma equipa que foi goleada em Basileia na última quarta-feira para a Liga dos Campeões. A única alteração foi a entrada de Salvio para o lugar ocupado por Zivkovic na Suíça. Se a ideia passava pelo voto de confiança faria mais sentido apresentar o mesmo onze. No banco sentava-se pela primeira vez o jovem guarda redes Svilar.
Onze inicial: Júlio César, A. Almeida, Luisão, Jardel, Grimaldo, Fejsa, Pizzi (Krovinovik 70'), Salvio, Cervi (Rafa 75'), Jonas (Seferovic 83') e Raúl Jiménez.
Suplentes: Svilar, Rúben Dias, Filipe Augusto, Krovinovic, Zivkovic, Rafa e Seferovic.

Obra prima a abrir

O jogo da Madeira começa praticamente com o golo do Benfica, e que golo. Jonas flete da esquerda para o centro e remata em arco ao poste mais distante fazendo a bola entra exatamente onde a coruja faz o ninho. Estava aberto o marcador e esperava-se um efeito balsâmico para o nervosismo que a equipa pudesse apresentar. E teve-o, mas apenas no sentido em que a equipa não precisou de jogar sofregamente na procura do golo e procurou jogar mais na cautela e menos no risco.
O jogo entrou numa toada muito morna com o Marítimo a tentar reagir e o Benfica a mostrar incapacidade para apresentar um futebol dominador, os níveis físicos e de confiança não o permitem. Assistiu-se a uma primeira parte pobre com o Benfica a procurar segurar com unhas e dentes o golo de Jonas, algo que esta época não tem dado bons resultados.
Benfica Futebol Jonas
Mais um grande golo de Jonas

Um filme que se repete

A segunda parte teve um ritmo ligeiramente superior mas nunca atingiu um nível minimamente razoável.  Júlio César ainda nega o golo ao Marítimo com uma grande defesa para canto. O Benfica ganha algum ascendente e tem uma boa oportunidade para fazer o segundo através de Salvio. Normalmente quem não marca sofre e assim sucedeu. Muito espaço e tempo concedido ao jogador do Marítimo para que colocasse a bola na área, hesitação entre André Almeida e Júlio César, e estava feito o golo do empate.
Pode-se dizer que o Benfica nem sequer conseguiu reagir ao golo do empate. A saúde física e mental não o permite. Foi mesmo do Marítimo a grande oportunidade de golo, com Júlio César a ganhar o duelo ao avançado da equipa da casa. A única oportunidade de golo para o Benfica surge já no período de descontos com Salvio a não conseguir a recarga vitoriosa após bom remate de Raúl.
Mais uma vez uma boa entrada a prometer um bom jogo, que acaba por não se cumprir. Este resultado até poderia ser mais ou menos digerido noutras circunstâncias. Num momento em que se poderia encurtar distâncias para os dois da frente, sabe mesmo a muito pouco. Vem aí paragem para os jogos das seleções, momento para recuperar índices físicos e psicológicos ou momento para mudanças? Aguardemos.

#naomefodas mode on
  • Olho para cara dos jogadores e não sinto nada… só vazio. Parecem perdidos, sem qualquer crença. Pqp, como chegamos a este ponto?!?
  • Quando os lançamentos do Salvio parecem ser a única forma de chegar à área do adversário, tá tudo dito.
  • Nunca me vou calar crl. Aquela mão não é penaltie? E o famoso VAR?
  • Vejam o que escrevi no post da Santa Aliança. Percebem agora? A coação não funciona? 
#naomefodas mode off

Venha o próximo e viva o Benfica!!!
Benfica Futebol Júlio César
Júlio César evita o pior com duas boas defesas

Destaques do Baralho

REI: Jonas – Pelo golo e pelas tentativas de fazer algo que faça sentido dentro do campo.
ÁS: Júlio César – Pela defesa que evitou a derrota nos Barreiros.
SENA: Golo de Jonas – Não festejei logo, fiquei à espera que o VAR o validasse. Golo pornográfico, pensei que o iriam anular por ser para maiores de 18 anos.
DUQUE: Relvado – Do pior que se tem visto nos últimos anos.
Abraço


sábado, 30 de setembro de 2017


Benfica no Feminino - O Regresso!

Benfica Modalidades Femininas
A tradicional Selfie no Estádio da Luz
As modalidades femininas do Benfica já trabalham há algumas semanas com vista à participação nas diferentes competições da nova época 2017/18.
Espera-se que as equipas de Futsal e Hóquei em Patins repitam a boa época realizada o ano passado. Foram vários os títulos somados por ambas as equipas, com destaque para a conquista do campeonato nacional.
Do Basquetebol, fruto das novas aquisições, espera-se que se intrometa seriamente na luta pelo título nacional, à imagem das outras duas modalidades. A aposta está feita, esperemos que dê os frutos desejados
Domingos Almeida Lima, vice-presidente para as modalidades deixou a mensagem: “O desporto feminino é uma realidade atual no Benfica e que queremos que se desenvolva cada vez mais. Desejo um ano muito bom e com muito trabalho, muita dedicação e respeito pelos adversários”.

Basquetebol

Benfica Modalidades Femininas Basquetebol
O plantel da equipa de Basquetebol
A equipa iniciou a época com a participação na XI edição da Taça Vítor Hugo com uma participação muito modesta ao classificar-se em sétimo lugar. Esperemos por melhorias já que o plantel colocado à disposição do treinador assim o exige.
Plantel:
Catarina Neves, Cynthia Dias, Dejza James, Dora Duarte, Filipa Bernardeco, Inês Cruz, Joana Ramos, Jéssica Garcia, Ladondra Johnson, Mafalda Borges, Mariana Silva e Telma Fernandes.
Treinador: André Cardoso
Declarações:
André Cardoso:Chegaram duas atletas estrangeiras que acrescentam qualidade, com uma capacidade atlética diferente daquela que existe no basquetebol português. Vamos trabalhar para fazer uma grande equipa, com capacidade de lutar por bons resultados
Joana Ramos:As condições têm vindo a melhorar e está tudo a postos para a nova época”.

Futsal

Benfica Modalidades Femininas Futsal
O plantel da equipa de Futsal
O futsal começou a época em grande com a conquista da supertaça ao vencer por três golo sem resposta a equipa da Novasemente. Parabéns meninas!
Também no campeonato nacional a estreia foi auspiciosa com vitória fora sobre o Arneiros por 1-4.
Plantel:
Guarda redes: Ana Catarina, Bety Delgado, Patrícia Mexia.
Fixo: Claudinha, Débora Venâncio e Nina Pereira
Universal: Inês Fernandes.
Ala: Cátia Tavares, Fifó, Janice, Maria Pereira, Raquel Santos e Sara Ferreira.
Pivot: Ana Alves e Cláudia Lobo.
Treinador: Bruno Fernandes.
Declarações:
Bruno Fernandes:Mantivemos 80% do plantel. Jogamos hoje em Torres Vedras para a Taça de Honra e é um título que queremos revalidar, tal como fizemos na Supertaça. Estamos a trabalhar para as restantes provas, entre as quais o Campeonato”.
Inês Fernandes:O Benfica tem feito um caminho incansável, está muito diferente desde que cheguei. Estamos na linha frente no futsal feminino e só podemos estar orgulhosos”.

Hóquei em Patins

Benfica Modalidades Femininas Hóquei Patins
O plantel da equipa de Hóquei em Patins
A equipa de hóquei inicia a temporada este fim de semana com a participação no torneio de Abertura de Hóquei em Patins da Associação de Patinagem de Lisboa. Já o encontro para a Supertaça frente ao Stuart de Massamá está agendada para o dia 7 de Outubro em Alenquer.
Plantel:
Guarda redes: Maria Vieira e Sandra Coelho.
Defesa/Médio: Inês Vieira, Macarena Ramos, Raquel Abreu e Rute Lopes.
Avançada: Ana Arsénio, Andreia Leal, Marlene Sousa e Rita Lopes.
Treinador: Paulo Almeida.
Declarações:
Paulo Almeida:É mais fácil trabalhar ao ter o mesmo plantel. Temos, entretanto, um jogo amanhã em casa e convido desde já que compareçam no nosso Pavilhão. Temos conseguido títulos e a ambição de vencer vai continuar a existir”.
Rute Lopes: Sentimos que o Clube tem mais condições e capacidade a cada ano que passa, e isso facilita as conquistas”.


#naomefodas mode on
  • Hoje não há. O respeitinho é muito lindo!!! ;-)
#naomefodas mode off



Abraço


sexta-feira, 29 de setembro de 2017


A reflexão que se impõe – A Santa Aliança

Benfica Futebol Marquês Pombal
Só com títulos se combate a Santa Aliança
O momento atual do Benfica justifica uma paragem para refletir no que tem sido o caminho percorrido desde a conquista do Tetra Campeonato. No desporto em geral e no futebol em particular é muito ténue a linha que separa o sucesso do fracasso. Pela fragilidade dessa linha e pela existência de todo um conjunto de variáveis mais ou menos incontroláveis, torna-se arriscado, e por muitas vezes injusto, avaliar os resultados apenas como consequência das opções tomadas.
Tal não invalida, bem pelo contrário, que não devamos procurar analisar todas as opções tomadas e as suas consequências no atingir do objetivo proposto. Por isso numa série de artigos vou abordar um conjunto de áreas, tentando perceber as ideias por trás das decisões tomadas e procurando encontrar novos caminhos e soluções:

A Santa aliança

A ideia de uma aliança entre o Porto e o Sporting como forma de combater a supremacia do Benfica não é uma inovação deste século. Já no mandato de José Roquete esse entendimento tácito era colocado em prática, como revela o antigo presidente do Sporting, João Rocha, ao jornal Record:
- “Havia um projecto com o FC Porto que era muito prejudicial para o Sporting. Era mesmo inqualificável. Insurgi-me num Conselho Leonino e numa assembleia geral. Era um projecto gravíssimo que só podia sair da cabeça de um indivíduo sem responsabilidades. José Roquette dizia que era um projecto válido, porque era a única maneira de Sporting e FC Porto estarem sempre representados na Liga dos Campeões.”.
- “Foi falado no Conselho Leonino e eu disse ao líder da AG para mandar calar sobre essa informação, que foi longe demais. Disse-lhe ainda que o resumo do acordo com o FC Porto devia ser gravado de tão grave que era, porque talvez fosse necessário que essa gravação viesse a ser pública na defesa dos interesses do Sporting e dos seus sócios.”.
Com este histórico e estando o Benfica num ciclo de vitórias impressionante não surpreende ninguém esta, agora assumida, aproximação entre ambos os clubes. Batizada de Santa Aliança, mais não é do que o reconhecimento da grandeza do Benfica e da incapacidade de cada um desses clubes por si só conseguir atingir as desejadas vitórias.
O namoro foi assumido num encontro no Hotel Altis em inícios de maio deste ano numa tentativa desesperada de travar a caminhada do Benfica rumo ao Tetracampeonato. O encontro “secreto” foi precedido de convocatória também ela “secreta” à comunicação social para que todo o país, “secretamente”, tomasse conhecimento do encontro.
Benfica Futebol Santa Aliança
O encontro secreto da treta
O objetivo passava claramente pela tentativa de desestabilizar a estrutura do Benfica na fase decisiva da época. Entretanto havia falhado aquele que era o grande trunfo da santa aliança que era a desejada derrota do Benfica em Alvalade.
Dos objetivos da santa aliança - de cujo comunicado ironicamente consta algo como: “O objetivo comum de Sporting e FC Porto é reformular o futebol português e promover a transparência e a verdade desportiva" - destacam-se os seguintes:
  • Provocar instabilidade interna no Benfica;
  • Causar danos à reputação do Benfica em termos nacionais e internacionais;
  • Enfraquecer o Benfica em termos de patrocinadores;
  • Promover uma narrativa que desvalorize o mérito das conquistas do Benfica associando-as a jogos de bastidores;
  • Marcar a agenda dos programas de comentário desportivo e controlar o desenrolar dos mesmos através da superioridade numérica;
  • Repartir de forma coordenada os ataques ao Benfica e outras instituições, assim como as reações subsequentes a esses mesmos ataques;
  • Utilizar os órgãos de comunicação social e jornalistas “amigos” para fazer eco e prolongar no tempo os ataques lançados;
  • Sistematizar as ações de coação sobre a arbitragem, a justiça, a disciplina, os dirigentes desportivos e inclusive sobre os outros clubes.
Todos estes objetivos têm sido postos em prática ao longo dos últimos meses fazendo com que o futebol português atinja um nível de belicismo nunca antes observado. Ambos os clubes, através dos seus diretores de comunicação e outros agentes propagadores de ruído, mantêm uma agenda mediática contínua que em nada se coaduna com o teor do comunicado conjunto que emitiram.

O que eu penso?

Infelizmente penso que a estratégia tem dado os seus frutos, assentando num controlo dos meios de comunicação social que me parecia de todo impossível em pleno século XXI. Esse controlo resulta em parte na influência direta dos grupos de comunicação social afetos aos dois clubes, que já nem sequer têm a preocupação de disfarçar a sua parcialidade.
A outra forma de controlo, quase impossível de combater, advém do facto dos temas polémicos serem o principal mote para as audiências. Se meter o nome do Benfica pelo meio, então é a cereja no topo do bolo. Em tempo de vacas magras para a imprensa, a santa aliança tem sabido aproveitar bem este facto.
Gostaria que assim não fosse, mas a estratégia tem dado os seus frutos:
  • Pressente-se a instabilidade dentro do clube. Aquela máxima de deixar os cães ladrar enquanto a caravana passa, que tão bom fruto deu, parece posta em causa.
  • A imagem do Benfica vai-se degastando e esperemos que esse desgaste não se reflita nas gerações futuras.
  • A pressão sobre arbitragens, justiça e disciplina tem dado os seus frutos. Em caso de dúvida os árbitros beneficiam a santa aliança, pois não querem passar o resto da semana sob os holofotes. A justiça castiga Samaris, com vários casos similares a passarem em claro. A federação apenas vem dar satisfações quando o vídeo-arbitro fez justiça no jogo do Benfica com o Portimonense e poderia continuar com muitos outros exemplos.
  • Os responsáveis, quer técnicos quer dirigentes, de outros clubes têm declarações pré e pós jogo com o Benfica que não se comparam com a subserviência prestada à santa aliança. O vídeo apresentado pelo treinador adjunto do Portimonense é um bom exemplo disso.
  • Com tantas acusações de manobras de bastidores, os adeptos do Benfica parecem sentir-se inibidos no que diz respeito às queixas de arbitragem, mesmo quando os roubos são descarados. Mais um fator que inclina a tomada de decisão dos árbitros para o lado da santa aliança.
  • Alguns adeptos têm encarnado a narrativa de que as conquistas dos últimos anos não o foram por mérito próprio. Este sentimento tem levado muitos a desvalorizar os méritos de um grupo de trabalho que foi exemplar nas duas últimas épocas, quebrando uma química que foi a base de sustentação das muitas vitórias alcançadas.
Estas são apenas algumas das situações que saltam mais à vista, muito mais haveria por escrever.
Benfica Futebol Imbestigue-se
Um bom exemplo de comunicação

Como reagir

Sem dispor de todos os dados da equação, nem pouco mais ou menos, diria que não é fácil contrariar o panorama atual. Certamente que o Benfica terá gente especializada nas áreas da comunicação e ciências sociais a analisar esta temática e a definir estratégias de curto e médio/longo prazo. Pelo menos assim o espero.
Do meu ponto de vista há três situações que me parecem fundamentais para combater o atual estado de coisas:
  • Da parte do clube recolocar o foco no trabalho dentro de portas e continuar a ganhar dentro do campo. As nossas vitórias serão o melhor antídoto para todo o veneno destilado pela santa aliança. Percebendo que dentro do Benfica certamente que terão um pensamento semelhante; ainda hoje leio que o presidente declarou: “Só os bons resultados desportivos permitirão consolidar as nossas opções”; torna-se para mim quase incompreensível o desinvestimento desenfreado que se verificou esta época.
  • Da parte dos sócios/adeptos assumir o orgulho no clube, reconhecer o mérito das nossas vitórias; então os últimos dois anos foram mesmo épicos; reconhecer os méritos dum grupo de trabalho que deixou tudo em campo.  Andar de cabeça bem levantada com o orgulho de sermos Tetracampeões mesmo que a época esteja a correr mal; uma coisa não invalida a outra. Não ter pruridos em reclamar das arbitragens, da discriminação na aplicação de castigos ou mesmo do discricionarismo das declarações dos altos dirigentes do nosso futebol. Adeptos à Benfica impõe respeito a qualquer rival.
  • Da parte do grupo de trabalho perceber a importância deste momento. Pode a época não ter sido planeada da melhor forma e o plantel apresentar algumas lacunas, mas mesmo assim existe qualidade para chegar ao sucesso. É recuperar a atitude dos últimos anos e lutar connosco, por nós que bem merecemos, pela reconquista dos títulos que tanto trabalho nos deram na época passada.
Só assim poderemos fazer com que a santa aliança se esfume e o futebol português volte a ser um meio minimamente respirável.

#naomefodas mode on
  • Quem se lembrou da treta do desinvestimento no contexto especial que esta época apresenta, devia era aplicar o desinvestimento na sua casa e passar a época a pão e água. Pó crl, pah!
  • Não entrem na narrativa dos fdp dos dragartos. Ninguém dentro de nossa casa o deve fazer. Fechar as portas, fechar a boca, trabalhar muito e dessa forma certamente que a santa aliança entra em insolvência como o outro crl.
  • Foram quatro campeonatos ganhos com muito suor, contra tudo e contra todos, sempre até ao último minuto. Fds, não entramos em campo de cabelo pintado a dez jogos do fim do campeonato. Não crl, foi sempre suadinho. Muito orgulho!
  • Que tem o desdentado a dizer da impossibilidade dos atletas emprestados estarem impedidos “oficiosamente” de defrontar o clube parceiro?
  • Correm uns zunzuns que na santa aliança são todos iguais, mas uns são mais iguais que outros. Será?!?
#naomefodas mode off

Abraço


quarta-feira, 27 de setembro de 2017


Bayern Munique vs Benfica - Humilhação

Benfica Futebol Emigrantes
Estes são os verdadeiros heróis
O Benfica deslocou-se à Alemanha para defrontar o Bayern Munique na 2ª jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões 2017/18. Os emigrantes portugueses marcaram presença em massa no apoio aos Tetracampeões nacionais.
Rui Vitória fez duas alterações relativamente ao último jogo com o regresso de Jardel para fazer dupla com Luisão no centro da defesa e a troca de Seferovic por Raúl Giménez.
Onze inicial: Júlio César, André Almeida, Luisão, Jardel, Grimaldo, Fejsa, Zivkovic (Samaris 74’), Pizzi, Cervi (Salvio 45’), Jonas (Seferovic 67’) e Raúl Jiménez.
Suplentes: Varela, Samaris, Filipe Augusto, Rafa, Salvio, Gabriel Barbosa e Seferovic.

Início comprometedor

Se já era complicada esta deslocação à Alemanha, mais difícil se tornou com o golo sofrido logo aos dois minutos de jogo. Não se pode dar tanto espaço a jogadores como Roben ou Ribery.  O Bayern recuou linhas e entregou o domínio do jogo ao Benfica começando logo aí a fazer gestão para o próximo jogo da Bundesliga. Foi portanto em contra-ataque que chegou ao segundo golo ainda antes do intervalo.
Estará aprendida a lição do Bessa?
A segunda parte trouxe um Benfica a procurar um golo que lhe permitisse sonhar com a reviravolta. Bem procurou o Benfica só que do outro lado estava um sério candidato à conquista desta edição da Champions. Muita qualidade da parte dos germânicos que sem acelerar muito foram dilatando a vantagem no marcador.
O resultado é pesado, mas reflete a diferença de qualidade entre as duas equipas. Esta derrota não pode interferir com o processo de recuperação psicológica iniciado com a vitória frente ao Paços de Ferreira. Derrota dolorosa mas que não pode deixar marca já que do outro lado estava um dos grande colossos europeus. Há que dar resposta já no fim de semana frente ao Marítimo.

#naomefodas mode on
  • Alguém me pode explicar o que crl fazem dois jogadores junto à bola para marcar um canto?
  • Como cometemos o sacrilégio de marcar um golo de canto contra o Paços Ferreira, logo equilibramos as coisas sofrendo um golo num canto a nosso favor, pqp.
  • A mrd da exibição até o torna ridículo, mas tenho que o escrever: esta pt desta arbitragem é pior que a pior que a Liga NOS teve. Aliás na sequência do que foi arbitragem da primeira jornada.
  • Vamos lá dar uma resposta à Benfica já no fim de semana. Se não, é mandar tudo com o crl.
#naomefodas mode off

Venha o próximo e viva o Benfica!!!
Benfica Futebol Raúl Jiménez
Raúl Jiménez o único que se safou

Destaques do Baralho

REI: Emigrantes – São TOP mundial. Para eles fica um grande abraço. Se quiserem eu passo-vos um atestado médico para não terem que ir trabalhar amanhã.
ÁS: Raúl Jiménez – O único jogador que se mostrou à altura do desafio.
SENA: Escorregadelas – Com o nível de profissionalismo que o futebol atingiu, já não faz qualquer sentido este tipo de situações.
DUQUE: Todos menos o Jiménez – Mau de mais para ser verdade.
Abraço


Benfica na Tweetoesfera!!! - VIII

Divirta-se com um apanhado do que se vai passando pela Tweetoesfera Gloriosa. Crédito total aos respectivos intervenientes.

Magnifico! Reparem na hora de publicação ;)

É tudo uma questão da intensidade do aperto. 

Contrastes!

Tem-se portado melhor o Taarabtezinho!

Bem a Rute na análise!

Espero que esta foto não sobrecarregue o servidor.

Peço desculpa pelo intromissão. Distrital? Parabéns Lourosa!

Faça chuva ou faça sol, aí estão eles...

Fico igualzinho!

Bem no meio dos "assassinos". Masoquismo, certamente.

O Benfica manda nesta mrd toda!!!

Mainada!!!

Fabinho - parte I

Fabinho - parte II

Fabinho - parte III

Aí está o ansiado 8!

Sério? Não estava à espera desta.

Vamos mas é pensar já em 2018/19.

Evita Nelsinho... tens família.

Saudades do menino!


Caso tenham algum "tweet" aqui publicado que pretendam que seja retirado da publicação, manifestem-o nos comentários.


Abraço


Espreite também...

A reflexão que se impõe – A Santa Aliança